Clodagh Kilcoyne/ Reuters
Clodagh Kilcoyne/ Reuters

Marcus D'Almeida avança às oitavas do tiro com arco e faz história na Olimpíada de Tóquio

Arqueiro brasileiro surpreende, vence britânico e holandês por 7 a 1 e enfrenta italiano na próxima fase

Redação, Estadão Conteúdo

28 de julho de 2021 | 03h22

Frio, concentrado e preciso, Marcus D'Almeida fez história na madrugada desta quarta-feira (horário de Brasília) ao se tornar o primeiro brasileiro a avançar às oitavas de final de uma Olimpíada no tiro com arco. Para chegar a esse estágio em Tóquio, o arqueiro brasileiro deixou pelo caminho o britânico Patrick Houston e o holandês Sjef van den Berg.

Conhecido pela frieza em suas atuações, Marcus despachou os seus dois primeiros adversários no Japão, ambos bem ranqueados, pelo mesmo placar: 7 a 1. O brasileiro impôs seu ritmo e foi amplamente superior a Huston, seu rival na estreia, e Sjef van den Berg, adversário da rodada seguinte.

Marcus sobrou contra seus rivais. Diante de Van Den Berg, empatou o primeiro set ao passo que os dois conseguiram três 9, mas venceu as outras três parciais. Sua maior somatória foi 29 pontos no segundo set, fruto de dois 10 e um 9.

Em busca de uma vaga nas quartas, Marcus encara o italiano Mauro Nespoli. O confronto será sexta-feira, às 21h30 (horário de Brasília). Antes, na quinta-feira, às 6h, o Brasil terá outra representante na modalidade. Ane Marcelle dos Santos faz sua estreia na fase eliminatória diante da mexicana Ana Vázquez.

Marcus disparou a primeira flecha aos 12 anos e apenas quatro anos depois disputava títulos internacionais. Sua estreia em Jogos Olímpicos foi em 2016, nos Jogos do Rio. Naquela edição, parou na primeira rodada ao perder para um rival chinês.

O arqueiro de 23 anos também é dono de duas medalhas em Jogos Pan-Americanos - uma de prata e uma de bronze -, tricampeão Sul-Americano, campeão do Mundial da Juventude em 2015 e prata nos Jogos Olímpicos da Juventude em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.