Wander Roberto / CPB
Wander Roberto / CPB

Com mais um ouro de Maria Carolina na natação em Tóquio, Brasil iguala medalhas douradas da Rio: 14

Também nas piscinas da Paralimpíada, nos 200m medley da classe S14 (deficientes intelectuais), Gabriel Bandeira fica em segundo lugar e sobe ao pódio pela quarta vez

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2021 | 06h01

Maria Carolina Santiago volta a ter excelente desempenho numa prova da Paralimpíada de Tóquio. A nadadora brasileira já tinha um ouro e um bronze no Japão, e conquistou mais uma medalha dourada, agora nos 100m livre da classe S12 (atletas com deficiência visual, mas que não são totalmente cegos). A conquista faz o Brasil igualar o número de campeões da edição do Rio, que foram 14. Nos 200m medley da classe S14 (deficientes intelectuais), Gabriel Bandeira ficou em segundo lugar e subirá ao pódio pela quarta vez - ele já tinha uma medalha de cada cor.

Maria Carolina não era considerada favorita na prova, posto da russa Daria Pikalova. Na saída, quem assumiu a ponta foi a britânica Hannah Russell, mas a atleta já virou na primeira colocação 16 centésimos de segundo à frente das duas. Maria Carolina conseguiu manter a vantagem e levar a medalha de ouro, com o tempo de 59s01, enquanto Pikalova ficou com a prata (59s13) e Russell com o bronze(1min00s25).

O ouro de Maria Carolina Santiago significou mais marcas quebradas: a nadadora foi a primeira brasileira a conquistar duas medalhas de ouro na mesma edição dos Jogos Paralimpícos. Além disso, com a vitória, a delegação feminina do Brasil bateu o recorde do número de ouros em uma edição - além de Maria Carolina, outras campeãs foram Silvânia Lima, Mariana D'Andrea, Beth Gomes e Alana Maldonado.

A prova de Gabriel Bandeira veio logo na sequência. Na primeira piscina, com nado borboleta, Gabriel terminou na primeira posição. Porém, o brasileiro não foi bem no nado peito e de costas, terminando as segunda e terceira parciais na quarta colocação. Bandeira conseguiu se recuperar muito bem nos últimos 50m, nado livre, e fechou na segunda colocação, com o tempo de 2min09s56.

O ouro foi para o principal rival de Gabriel em Tóquio, o britânico Reece Dunn, que quebrou o recorde mundial ao marcar 2min08s02. Completou o pódio o ucraniano Vasyl Krainyk, bronze com 2min09s92.

Com a medalha de ouro de Maria Carolina, o Brasil já igualou o número de ouros conquistados na Paralimpíada do Rio, em 2016, que foi 14, embora esteja atrás no total de pódios. Com mais cinco dias de competições em Tóquio, é possível que o Brasil busque o melhor resultado da história, as 21 medalhas douradas conquistadas em Londres-2012.

Os medalhistas de ouro do Brasil até o momento são Yeltsin Jacques (2), Beth Gomes, Claudiney Batista, Petrúcio Ferreira, Silvânia Lima e Wallace Santos no atletismo; Maria Carolina Santiago (2), Gabriel Araújo, Gabriel Bandeira e Wendell Belarmino na natação; Mariana D'Andrea no halterofilismo e Alana Maldonado no judô.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.