Divulgação/ CBJ
Divulgação/ CBJ

Maria Suelen é bronze e conquista única medalha do judô brasileiro em Tel-Aviv

Neste sábado, os brasileiros Rafael Macedo e Leonardo Gonçalves também subiram no tatame, mas foram eliminados precocemente

Redação, Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2021 | 16h44

Após uma série de resultados ruins, o judô brasileiro enfim subiu ao pódio de uma competição na temporada 2021. Neste sábado, no último dia do Grand Slam de Tel-Aviv, em Israel, a peso pesado Maria Suelen Altheman (+78kg) conquistou uma das medalhas de bronze do evento.

Na luta para ir ao pódio, Maria Suelen projetou a porto-riquenha Melissa Mojica por ippon. Cabeça de chave número 1, a brasileira havia vencido as duas primeiras lutas em Tel-Aviv, diante de Milica Zabic, da Sérvia, e Faz Hershko, de Israel. Mas perdeu nas semifinais para Rochele Nunes (12.ª colocada no ranking), que compete por Portugal.

Rochele conseguiu um waza-ari e três punições para se garantir na final, em que perdeu para a francesa Romane Dicko (10.ª). O outro bronze da categoria ficou com Marina Slutskaya, de Belarus.

A medalha de bronze garante mais 500 pontos para Maria Suelen no ranking em busca de uma vaga na Olimpíada de Tóquio. Ela é a número 3 do mundo e disputa a classificação com Beatriz Souza, que ocupa a sétima posição na listagem e não competiu em Israel.

Desde a retomada das competições, Maria Suelen foi ao pódio em três das quatro competições que participou. Em outubro de 2020, foi bronze no Grand Slam da Hungria. E no mês seguinte conquistou o título pan-americano. Assim, só não conquistou uma medalha no World Masters, em janeiro.

Além de Maria Suelen, outros dois brasileiros competiram neste sábado em Tel-Aviv: Rafael Macedo (90kg), que perdeu na estreia para o polonês Piotr Kuczera, e Leonardo Gonçalves (100kg), que venceu Simeon Catarina, da Holanda, na primeira luta, mas foi eliminado nas oitavas de final por Thomas Briceño, do Chile.

A próxima competição da seleção brasileira de judô será o Grand Slam de Tashkent, em março, no Uzbequistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.