Mário Santos critica pista da marcha atlética em Pequim

Brasileiro diz que condições de pista e clima deixaram o percurso de 50 km ainda mais difícil

Agência Estado,

22 de agosto de 2008 | 08h54

Exausto após a disputa da marcha atlética 50km, o brasileiro Mário Santos disse que as condições de pista e clima deixaram o percurso ainda mais difícil. "Pela primeira vez vejo piso de tartan numa prova, tínhamos que fazer o dobro da força. Sem falar na umidade alta, na temperatura. O clima em Pequim é muito instável. Na primeira hora da prova estava frio; na última, muito quente", disse Mário.     Veja também:  Italiano Alex Schwazer vence a marcha atlética de 50 km    O brasileiro ainda encontrou forças para comemorar o 41.º lugar na prova, disputada em um circuito montado perto do Ninho do Pássaro, em Pequim. "Foi muito difícil. Fico feliz pela colocação. Treinei muito para fazer uma corrida progressiva e chegar foi incrível. Matei uns 50 dragões para terminar a prova." Mário cruzou a linha de chegada depois de 4h10min25 e só começou a ganhar posições a partir do km 20, quando era o 51.º.   O atleta está otimista quanto ao futuro. "Não tenho muitos recursos, mas vou continuar acreditando. Marcha atlética é muito bom. Você só precisa da natureza e de um tênis."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.