Mark Spitz diz que COI quer apenas contentar emissora de TV

Ex-nadador norte-americano critica postura do COI sobre violação dos Direitos Humanos e crise no Tibete

Ansa

24 de abril de 2008 | 16h49

"Ao COI interessa apenas contentar as emissoras de TV, sobretudo as dos Estados Unidos", comentou nesta quinta-feira o ex-nadador norte-americano Mark Spitz durante um debate sobre o boicote dos Jogos de Pequim como forma de protesto contra a violação dos direitos humanos no Tibete."Na concessão das Olimpíadas contam três coisas: ganhar dinheiro, ainda mais dinheiro e o máximo de dinheiro possível", disse Spitz, com base em sua experiência como consultor em três candidaturas olímpicas, diante de cerca de 200 estudantes universitários em Milão, durante o debate "Jogos de paz e mundos de guerra", organizado pela Telecom Italia, do qual participaram também o ginasta Igor Cassina e a analista política Mariele Merlati."De fato, muitas finais serão disputadas de modo a serem transmitidas no início da noite na América", continuou Spitz.Cassina, por sua vez, defendeu a posição contra o boicote dizendo: "A problemática dos direitos humanos existe e é delicada, mas uma manifestação como os Jogos não deve ser utilizada para aspectos de natureza política".A professora Mariele, por sua vez, ressaltou que "o único verdadeiro boicote significativo foi aquele de Moscou 1980, que, no entanto, foi somente um momento do protesto contra a Rússia, após o embargo e a condenação na sede da ONU".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.