Gaspar Nóbrega/COB
Gaspar Nóbrega/COB

Mayra Aguiar busca sua primeira final olímpica no judô nos Jogos de Tóquio

Brasileira foi bicampeã mundial e duas vezes medalhista olímpica

Redação, Estadao Conteudo

28 de julho de 2021 | 11h48

Mayra Aguiar acumula, em sua trajetória esportiva, feitos gloriosos. Bicampeã mundial e duas vezes medalhista olímpica (bronze em Londres-2012 e Rio-2016), a judoca da categoria até 78kg busca, nos Jogos de Tóquio-2020, na sua quarta participação em Jogos Olímpicos, um feito inédito em sua carreira: chegar a uma final olímpica.

Mas para chegar lá, antes precisa passar por suas adversárias no bloco classificatório que se inicia às 23 horas (de Brasília) desta quarta-feira. É somente às 5 horas de quinta que Mayra Aguiar, se avançar na chave, brigará por medalhas.

Atual número 8 do ranking mundial, Mayra Aguiar chega no Japão como cabeça-de-chave, o que a coloca em um caminho mais fácil até o seu objetivo final. Devido a este feito, a judoca avança direto às oitavas de final da competição e precisa esperar a decisão da luta entre Munkhtsetseg Otgon, da Mongólia, e Inbar Lanir, de Israel, para conhecer sua adversária na estreia. Ambas ocupam posições inferiores no ranking se comparado com a judoca brasileira.

Presente em Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016, Mayra Aguiar chega à quarta participação consecutiva em Olimpíadas e segue na busca por uma medalha. Se subir ao pódio em Tóquio, se igualará à jogadora de vôlei, Fofão, a única mulher brasileira medalhista em três Jogos diferentes - bronze em Atlanta-1996 e em Sydney-2000, antes de levar o ouro em Pequim-2008.

No entanto, os meses que antecederam a sua ida à Tóquio foram de incertezas. Em novembro do ano passado, Mayra Aguiar passou por uma cirurgia ocasionada por uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. Após nove meses sem competir, a judoca voltou aos tatames em junho deste ano, no Mundial de Budapeste, na Hungria.

Apesar de não ter conquistado medalha, a participação lhe garantiu pontos suficientes para garantir a posição de cabeça-de-chave na Olimpíada. Recuperada, Mayra Aguiar vai, mais uma vez, em busca de fazer história no judô.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.