Frank Fife/AFP
Frank Fife/AFP

Mayra Aguiar revela medo e a angústia: 'Foi a conquista mais importante para mim'

Judoca de 29 anos se emociona após conquista da medalha de bronze e relembra dificuldades após cirurgia no joelho

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2021 | 07h46

A judoca Mayra Aguiar revelou logo após conquistar a terceira medalha consecutiva em olimpíadas, nesta quinta-feira de manhã (horário de Brasília), que sofreu com medo e angústia durante a preparação para chegar os Jogos de Tóquio. A atleta, de 29 anos, teve de se recuperar de uma cirurgia no joelho em tempo recorde, retomar os treinos e se classificar.

"Desculpa, não estou conseguindo falar, estou emocionada. Acho que é a conquista mais importante para mim. Foram difíceis os últimos tempos, bem difíceis, tem de superar, superar de novo e de novo. Não aguentava mais fazer cirurgia, ainda mais no momento que vivemos, tive medo, angústia. Mas continuei", disse Mayra, em entrevista para a TV Globo.

A primeira judoca a conquistar três medalhas consecutivas em Jogos Olímpicos agradeceu ao apoio de amigos e familiares. "Dar o nosso melhor vale a pena. Estou bem emocionada. Muito importante para mim. Não conseguiria nada sem minha família, me apoiaram em tudo e estavam comigo nos momentos mais complicadas. Obrigada por me apoiar, por me aguentar, eu sou bem chata, às vezes. Energia boa. TPM, cansada, com dor, mas eles estavam sempre comigo."

A judoca também lembrou dos treinos no solo que a ajudaram na vitória decisiva para a conquista do bronze em Tóquio. "Agradeço meus técnicos, pelo apoio, todos eles. Que me fazem levantar todos os dias. Obrigada por estarem ali. Beijo para o seu Moacir. Me fez amar luta no chão. Pensei: "não vou soltar, tenho potencial para ganhar essa luta". Beijão a todos. Obrigada de coração."

O bronze em Tóquio veio após vitória por ippon sobre a sul-coreana Hyunji Yoon. A judoca chegou a perder nas quartas de final pela alemã Anna-Maria Wagner, número 3 do mundo, em luta decidida no golden score. Na repescagem, venceu disputa equilibrada contrAleksandra Babintsevaa , do Comitê Olímpico Russo (ROC). A adversária, porém, recebeu três shidos por fugir do combate e Mayra foi declarada vencedora. Mayra sorriu muito no pódio. Olhou bem para a medalha antes de colocá-la no peito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.