Cristiano Andujar/ Estadão Conteúdo
Cristiano Andujar/ Estadão Conteúdo

Marcelo Melo se diz ansioso para sua quarta Olimpíada: 'Orgulho enorme de representar o Brasil'

Tenista terá como parceiro Bruno Soares, repetindo dupla dos Jogos de Londres-2012 e Rio-2016

Redação, Estadão Conteúdo

14 de julho de 2021 | 12h28

De volta ao Brasil após competir em Wimbledon, Marcelo Melo está ansioso para disputar a quarta edição dos Jogos Olímpicos de sua carreira. Antes de embarcar para Tóquio, na sexta-feira, ele e o também mineiro Bruno Soares intensificaram os trabalhos nesta semana. A meta é realizar o sonho de subir ao pódio, após três tentativas frustradas.

Melo estreou nos Jogos Olímpicos em Pequim-2008, jogando ao lado de André Sá. A dupla caiu na segunda rodada. Em Londres-2012 e no Rio-2016, ele formou dupla com Soares, seu parceiro também na Copa Davis. Juntos, foram eliminados nas quartas de final nas duas edições dos Jogos.

Agora Melo sonha com o pódio. "Vale toda a energia positiva, cada mensagem, incentivando, nos ajudando em busca da medalha. A Olimpíada tem um sabor muito especial. E voltar de Tóquio com uma medalha para o Brasil é um resultado que queremos muito", projetou o duplista.

Neste ciclo olímpico, Melo obteve as maiores conquistas de sua carreira. Foi campeão em Wimbledon em 2017 e alcançou o topo do ranking. No momento, em uma temporada irregular, é apenas o 18º. Ele voltou a jogar com o polonês Lukasz Kubot após tentativa frustrada de mudar de parceiro, no fim de 2020.

Mas a queda de rendimento não desanima o mineiro, que chegou às quartas de final em Wimbledon neste mês. "Minha quarta Olimpíada, mais uma vez um orgulho enorme em poder representar o Brasil. Foco total nos Jogos, com uma preparação especial aqui em Belo Horizonte, com o Bruno, para chegarmos com tudo em Tóquio", comentou.

A Olimpíada de Tóquio terá início no dia 23. No dia seguinte, já começará a disputa do tênis, no Ariake Tennis Park.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.