Marcos Brindicci/ Reuters
Marcos Brindicci/ Reuters

Menino da Mangueira acende pira olímpica na Candelária

'Fiquei sabendo agora que vou entrar para a história,' diz Jorge Alberto Gomes, de 14 anos

Suellen Amorim, Clarice Cudischevitch, especial o Estado, e Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2016 | 00h38

O garoto Jorge Alberto Gomes, de 14 anos, foi o escolhido para acender, na praça da Candelária, no Centro do Rio, uma das duas piras olímpicas oficiais dos Jogos Olímpicos do Rio. Gomes, atleta da Vila Olímpica da Mangueira, acendeu o monumento à 0h20 deste sábado. 

Logo após acender a pira na Candelária, que ficará acesa até o próximo dia 21, Jorge Alberto Gomes se mostrou muito emocionado. "Muito nervoso. Fiquei sabendo agora que vou entrar pra história. Muita coisa boa. Muito obrigado", disse. "Pra quem não tem um sonho definido, acredite. Daqui alguns anos, pode disputar uma Olimpíada", completou o garoto, em entrevista à TV Globo.

O público que estava na Candelária e no Boulevard Olímpico, montado na nova Orla Conde, assistiu à abertura da Olimpíada em três telões instalados no local. Em clima de festa, famílias e grupos de amigos aplaudiram momentos como o sobrevoo de uma réplica do avião 14-Bis e o desfile de Gisele Bündchen.

Um grupo de cerca de 50 pessoas, de vários países, aproveitou a vinda ao Brasil em “missão cristã” para aproveitar a noite de festa. Eles disseram que o Brasil sabe realizar boas festas. “Todo mundo me pergunta se eu me sinto insegura aqui. Eu não acredito: é bem seguro”, disse a inglesa Claire Nicholes, de 37 anos.

A diretora Adriana Dias, de 47 anos, veio de Rio Claro (SP) com o marido. Ela disse se sentir privilegiada por viver esse momento. “Chegamos quarta-feira e ficaremos até o dia 9”, disse. “É um momento único, esse de ver a pira acesa.”

Não foram só os turistas que aproveitaram a festa no Boulevard Olímpico. Os cariocas também estão usufruindo do novo espaço, que ficará como legado para a cidade. “A gente não podia circular aqui antes, era feio e perigoso”, comemorou a carioca Maria Rodrigues, de 49 anos.

Alguns turistas, no entanto, sentem que o clima de crise econômica afetou o ânimo dos brasileiros. É o caso da estudante inglesa Katie Peppel, de 22 anos. “Os brasileiros estão infelizes com a Olimpíada, achando que o dinheiro deveria ser melhor aproveitado. Eu gostaria de vê-los mais animados”, disse.

INAUGURAÇÃO

O espaço onde arde desde ontem o Fogo Olímpico foi inaugurado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB) menos de 12 horas antes do início da abertura dos Jogos. A praça em frente à Igreja da Candelária, de frente para o mar, era o último trecho da Orla da Guanabara que ainda não havia sido inaugurada. O espaço – um caminho à beira-mar de 3,5 km – surgiu da demolição do Elevado da Perimetral e da reurbanização do espaço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.