Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Ministro da Defesa diz que vai manter Força Nacional no Rio após Olimpíada

Raul Jungmann afirma que efetivo de 23 mil homens ficará na cidade até as eleições de outubro

Ciro Campos, Jamil Chade e Leonencio Nossa, enviados especiais ao Rio, O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2016 | 19h49

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta quinta-feira que o efetivo de 23 mil homens das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança e das polícias que atua na Olimpíada deverá ser mantido no Rio de Janeiro, com pouca redução, até as eleições de outubro.

"Esses homens vão ficar nas ruas", afirmou à reportagem do Estado. "Vamos fazer pequenos ajustes. Talvez durante a Paralimpíada sejam retirados uns 500 agentes apenas."

A visita do presidente em exercício Michel Temer e ministros ao Parque Olímpico foi marcada por discursos para minimizar o número de medalhas inferior à meta estabelecida pelo governo federal e falhas na organização de alguns eventos.

Num esforço para desfazer impressões negativas de atletas, Temer insistiu que a segurança dos Jogos Olímpicos tem sido "absoluta". Ele relatou que, na reunião entre representantes de governos e dirigentes, na tarde desta quinta, foi comentado o número "imenso" de turistas que estão nas ruas do Rio.

Ele minimizou os resultados da delegação brasileira, abaixo da meta de medalhas esperadas. "Já são 14 medalhas, ainda temos vários jogos e seguramente outras tantas virão", disse Temer.

Também integraram a comitiva de Michel Temer ao Parque Olímpico os ministros José Serra (Relações Internacionais) e Elizeu Padilha (Casa Civil).

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.