Ministro decide fechar Santos Dumont durante Olimpíada

Governo aceita pedido do COI e vai tratar com companhias aéreas

O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2015 | 16h06

O Comitê Gestor dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016 , órgão do Governo Federal, aprovou nesta quarta-feira o fechamento do Aeroporto Santos Dumont, no Rio, durante a realização das provas de vela nos Jogos Olímpicos do ano que vem. O local ficará sem pousos e decolagens de 8 a 18 de agosto de 2016, das 12h40 às 17h10.

Há quase dois meses a Força Aérea Brasileira (FAB) já havia confirmado que o Santos Dumont ficaria fechado por "até cinco horas" durante as regatas, faltando apenas a definição exata dos horários. A medida encontra forte resistências nas empresas áreas, que alegam que mais de 100 voos por dia devem ser cancelados.

A interrupção é necessária por causa do helicóptero que fará as transmissões da prova e também para não alterar as condições ideais para a competição, já que a área de manobra dos aviões fica próxima aos locais de realização dos jogos na Baía da Guanabara.

"A audiência acumulada dos Jogos de 2016 está estimada em 5 bilhões de espectadores em todos os continentes e as competições de vela estão entre as melhores imagens do Rio que as televisões vão mostrar ao mundo. Por isso é importante conciliar as demandas da organização do evento com as necessidades do aeroporto", argumenta o ministro do Esporte, George Hilton.

De acordo como Comitê Gestor, agora as autoridades aeroportuárias do País vão elaborar um plano de ação para minimizar os impactos no tráfego aéreo. Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), a paralisação das operações no aeroporto vai impactar 150 mil passageiros e causará o cancelamento de 104 voos por dia.

De acordo com a Abear, cerca de 70% dos voos que passam pelo Santos Dumont se conectam com aeroportos de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte Curitiba, Porto Alegre e Vitória. "Será prejudicial para os passageiros e afetará as companhias aéreas", disse a entidade, em agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.