Reprodução
Reprodução

Ministro russo quer criminalizar o vazamento de casos de doping

Vitaly Mutko é contra vazar o nome dos atletas pegos no antidoping

Estadão Conteúdo

26 de março de 2016 | 12h43

O ministro do Esporte da Rússia anunciou neste sábado que vai pedir para que seja transformada em lei a criminalização do vazamento de casos de doping. Em meio a um escândalo que estourou no país no ano passado e à revelação de novos casos, Vitaly Mutko foi na contramão e preferiu apontar os malefícios causados por aqueles que denunciam a atividade ilegal.

Em entrevista a uma rede de tevê estatal, Mutko afirmou que vazar o nome de atletas que falharam em exames antidoping causa "barulho e tumulto" e viola a presunção da inocência a qual todos os cidadãos têm direito.

Mutko lembrou que todos os atletas tem direito a pedir a análise de uma amostra B depois que a amostra A testa positivo para alguma substância proibida. A absolvição de atletas com a amostra B é rara, mas o ministro considerou que o vazamento de informações antes de ela ser analisada pode incriminar pessoas inocentes.

O político acusou diversas federações esportivas de realizar justamente este expediente, o de vazar informações antes de as amostras B serem testadas. "Agora, nós vamos proibir isso administrativamente e criminalmente", ameaçou.

A Rússia é a protagonista de um grande escândalo de doping que estourou no ano passado, sob a acusação de que o país teria trabalhado para acobertar os casos de diversos de seus atletas. Por conta disso, o atletismo russo foi suspenso de competições internacionais e corre o risco de sequer vir à Olimpíada do Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaDopingAtletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.