Monges Shaolin não participarão de evento paralela aos Jogos

Durante a realização da Olimpíada, em agosto de 2008, acontecerá no país um torneio de kung fu

Efe,

07 de outubro de 2007 | 02h20

Os monges do templo Shaolin, berço das artes marciais chinesas, não participarão da competição de kung fu que será realizada de forma paralela aos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, informou neste domingo o jornal oficial China Daily. "O wushu chinês [como também é conhecido o kung fu] pertence aos esportes de competição, enquanto o wushu de Shaolin pertence às artes marciais tradicionais. Têm natureza, padrões e conotações diferentes", disse ao jornal Qian Dalian, diretor-geral da empresa que administra o templo. O Comitê Olímpico Chinês anunciou na semana passada a realização durante os Jogos de Pequim de uma competição extra-oficial de kung fu, considerada um passo muito importante para a inclusão do esporte em futuras edições das Olimpíadas. "As atuações nas artes marciais chinesas podem ser quantificadas, mas o wushu de Shaolin não pode ser medido, porque contém elementos budistas e mostra uma combinação harmoniosa de budismo e kung fu", afirmou Qian. No entanto, acrescentou que os monges guerreiros apoiarão o evento "de forma cultural e espiritual" e participarão da cerimônia de inauguração se forem convidados. O kung fu foi desenvolvido pelos monges budistas do templo de Shaolin, na província central chinesa de Henan, há cerca de 1.500 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.