Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Negociação para jogar Olimpíada atrapalhou lua-de-mel, diz Marquinhos

Zagueiro do PSG se casou dias antes de se apresentar à seleção olímpica

Almir Leite, enviado especial a Goiânia, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2016 | 13h14

A vontade de participar da Olimpíada atrapalhou até mesmo a lua-de-mel do zagueiro Marquinhos. O Paris Saint-Germain colocou bastante dificuldade para liberar o jogador, que se casou após a Copa América Centenário. Isso impediu que ele se "desligasse" totalmente enquanto viajava com a mulher, pois precisou negociar intensamente para convencer os franceses.

"Foram dias de negociação com o PSG, até mesmo depois do casamento, na minha lua-de-mel. Eu não conseguia ficar tranquilo com minha esposa", revelou Marquinhos, nesta sexta-feira. "Aliás, é aniversário dela. Parabéns, meu amor!"

Marquinhos disse que a negociação foi delicada. Durante a Copa América, em junho, ele havia dito que estava liberado para disputar a Olimpíada. Mas o clube não queria abrir mão dele, para não atrapalhar a pré-temporada. "Mas o clube entendeu minha posição, minha vontade de estar aqui, disputar a competição. Eu me preparo há alguns anos, sabia que era minha chance. Eu não podia ficar fora."

Para o zagueiro, o fato de a Olimpíada ser no Brasil aumenta a pressão sobre os jogadores, mas saber lidar com ela pode ser um grande trunfo na briga para conquistar a medalha de ouro. "A pressão, apesar da idade não tem mais nenhum menino aqui. Sabemos das responsabilidades, somos trabalhados desde criança em cima disso, todos sabem a importância de uma medalha inédita para o país, o povo, então trabalhamos da melhor forma. Temos que levar a pressão para o lado positivo, nos motivar e fazer trabalhar mais forte."

O jogador do PSG também vê outro fator importante para que a caminhada seja bem-sucedida: a força da torcida. Por isso, pediu apoio total ao time. "Peço a total motivação que eles possam nos transmitir. Estamos jogando em casa e esse fator é muito importante. Peço que estejam do nosso lado e que confiem em cada jogador dentro do campo, porque vamos dar o melhor de nós", garantiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.