Jonne Roriz/ Exemplus/ COB
Jonne Roriz/ Exemplus/ COB

Neto de Servílio de Oliveira será porta-bandeira nos Jogos da Juventude

Boxeador Luiz Oliveira, o Bolinha, carregará a bandeira do Brasil na competição que começa no sábado em Buenos Aires

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2018 | 15h54

Após 50 anos da primeira medalha olímpica brasileira do boxe, outro lutador de mesmo sobrenome será responsável por mais uma honraria. Se em 1968 Servílio de Oliveira subiu ao pódio nos Jogos da Cidade do México, agora será a vez de seu neto Luiz Oliveira, o Bolinha, ser o porta-bandeira do Time Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude, que começa no sábado em Buenos Aires, na Argentina.

"Estou muito feliz e honrado por essa indicação. Isso me incentiva cada vez mais a ganhar o ouro para o nosso País. Quero representar bem na competição", afirmou o garoto de 17 anos, que foi medalha de bronze este ano no Mundial júnior. "Isso só prova que a nossa família continua firme no boxe e obtendo ótimos resultados", continuou.

O anúncio foi feito nesta terça-feira em um evento com os 79 atletas que vão representar o Brasil em Buenos Aires, no evento que tem os modelos dos Jogos Olímpicos, mas é para esportistas de 14 a 18 anos. "É um passo muito grande para o boxe brasileiro, um esporte que precisa de mais incentivo e reconhecimento", explicou Bolinha.

O boxeador ficou bastante emocionado com sua escolha e ainda nem consegue imaginar como será carregar a bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos da Juventude no próximo sábado.

"Sinceramente, não consigo imaginar. Deve ser algo único, uma sensação maravilhosa", disse, antes de falar novamente do feito de seu avô em 1968. "Isso significa muita coisa boa e me inspira cada vez mais. Quero conseguir mais um resultado desses depois de 50 anos", afirmou.

 

 
Mais conteúdo sobre:
boxe Luiz Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.