Jeon Heon-Kyun/EFE
Jeon Heon-Kyun/EFE

Noruega leva 3 ouros e assume 2º lugar nos Jogos de Inverno; Alemanha segue líder

País triunfa no biatlo, esqui alpino e esqui cross-country e fica a duas vitórias do primeiro lugar do quadro

Estadão Conteúdo

15 Fevereiro 2018 | 13h30

Com três medalhas de ouro conquistadas nesta quinta-feira de disputas dos Jogos de Inverno, a Noruega assumiu a vice-liderança do quadro de medalhas do evento olímpico realizado em Pyeongchang, na Coreia do Sul. O país nórdico se garantiu no topo do pódio em provas do biatlo, do esqui alpino e do esqui cross-country e agora só está atrás da Alemanha, que ganhou mais dois ouros e se manteve em primeiro lugar.

+ Jaqueline Mourão termian prova em 74º lugar, mas comemora marca pessoal

+ Após queda em treino, Isabel Clark não se recupera e está fora dos Jogos

Um dos noruegueses que triunfaram nesta quinta foi Aksel Lund Svindal, que confirmou favoritismo na prova do downhill do esqui alpino com o tempo de 1min40s25 e ainda fez uma dobradinha com o seu compatriota Kjetil Jansrud, prata com 1min40s37. O bronze veio por meio do suíço Beat Feuz, com 1min40s43.

No biatlo, por sua vez, Johannes Thingnes Boe ganhou o ouro para a Noruega na prova do biatlo de 20km, com a marca de 48min03s8, menos de seis segundos na frente do esloveno Jakov Fak, prata com 48min09s3, enquanto o bronze ficou com o austríaco Dominik Landertinger (48min18s0).

E o terceiro e o último ouro da Noruega veio por meio de Ragnhild Haga na prova do esqui cross-country de 10km, na qual Jaqueline Mourão fez história com sua sexta participação em uma Olimpíada e se igualou a outros cinco ídolos do esporte brasileiro: a jogadora de futebol Formiga, os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt, o cavaleiro Rodrigo Pessoa e o mesa-tenista Hugo Hoyama.

Os noruegueses ultrapassaram a Holanda, que caiu da segunda para a terceira posição após ganhar apenas uma medalha de prata ao longo de todo o dia, com Jorrit Bergsma na prova de patinação de velocidade de 10km, cujo ganhador foi o canadense Ted-Jan Bloemen. O italiano Nicola Tumolero levou o bronze.

E agora os holandeses viram os Estados Unidos empatarem no número de ouros, com cinco cada, e acirrarem a briga pela terceira posição ao triunfarem na prova do slalom gigante do esqui alpino, na qual Mikaela Shiffrin ficou em primeiro lugar. Nesta mesma disputa, a Noruega garantiu outro pódio com Ragnhild Mowinckel levando a prata, enquanto o bronze foi obtido pela italiana Federica Brignone.

ALEMANHA FAZ HISTÓRIA DUAS VEZES

A Alemanha, por sua vez, se manteve tranquila no topo do quadro de medalhas ao ganhar mais dois ouros abrilhantados por feitos históricos. Um veio com a dupla formada por Aliona Savchenko e Bruno Massot na patinação artística, superando a parceria chinesa Wenjing Sui e Chong Han, que levou a prata, a os canadenses Meagan Duhamel e Eric Radford, donos do bronze.

Nesta prova, Savchenko e Massot ao quebrarem os recordes olímpico e mundial no programa longo de pares livres ao contabilizarem 235,90 pontos na liderança da classificação geral da prova.

O outro ouro alemão do dia veio na prova por equipes do luge, com o quarteto formado por Johannes Ludwig, Natalie Geisenberger, Tobias Arlt e Tobias Wendl completando o percurso em 2min24s517 e garantindo o bicampeonato olímpico nesta prova, na qual o país também triunfou nos Jogos de Sochi, em 2014. Arlt e Wendl, por sinal, subiram pela segunda vez ao topo do pódio nestes Jogos de Inverno, nos quais haviam triunfado antes em provas individuais.

A prata no luge por equipes ficou com o quarteto canadense formado por Sam Edney, Alex Gough, Tristan Walker e Justin Snith, que fechou a prova em 2min24s872, pouco à frente do time austríaco, cujo bronze foi garantido por David Gleirscher, Madeleine Egle, Georg Fischler e Peter Penz com o tempo de 2min24s988.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.