ONGs denunciam desaparecimento de 'prisioneiro olímpico'

Ye Guozhu foi condenado a quatro anos de prisão e teria somente mais cinco dias de pena para cumprir

Efe,

24 de julho de 2008 | 03h57

Várias associações pró-direitos humanos denunciaram o desaparecimento de Ye Guozhu. Ele é um ativista condenado a quatro anos de prisão e teria somente mais cinco dias para cumprir. Ye Guozhu é considerado um dos "prisioneiros olímpicos" (pessoas presas por protestos relativos aos Jogos de Pequim). Acompanhe a cobertura completa dos Jogos Olímpicos Ye Guozhu se encontra em paradeiro desconhecido após ter sido trasladado da prisão de Chaobai pela Polícia de Pequim, segundo um comunicado da ONG Chinese Human Rights Defenders (CHRD, na sigla em inglês). A CHRD afirmou que Ye Guozhu foi preso em 2004 por planejar uma manifestação para reivindicar uma maior compensação econômica pela desapropriação de sua casa e do restaurante que administrava para destinar os terrenos que ocupavam a projetos dos Jogos Olímpicos. Seu irmão, Ye Guoqiang, afirma que a Polícia o transferiu para mantê-lo em silêncio durante os Jogos. "Ye Guozhu não será libertado até o encerramento dos Jogos Olímpicos, quando a maior parte dos jornalistas estrangeiros já terá deixado Pequim", afirmou Ye Guoqiang. "É uma contradição das promessas da China para estender os direitos humanos antes do início dos Jogos", disse a ONG Anistia Internacional (AI), que assegura também que Ye foi torturado em 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaJogos OlímpicosOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.