Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Organização dos Jogos de Tóquio anuncia corte de custos de R$ 1,5 bilhão

Comitê Organizador toma medidas para simplificar as disputas e informa que a redução atingirá Olimpíada e Paralimpíada

Redação, Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2020 | 12h44

Preocupada com os custos gerados pelo adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o Comitê Organizador da Olimpíada de Tóquio anunciou nesta quarta-feira um processo de simplificação e redução da preparação para os dois grandes eventos, que devem gerar economia de 30 bilhões de ienes, equivalente a US$ 280 milhões ou cerca de R$ 1,5 bilhão.

Este corte representa cerca de 2% do orçamento oficial do Comitê, estimado em US$ 12,6 bilhões (R$ 70 bilhões). Uma auditoria realizada no ano passado, contudo, mostrou que o custo real dos Jogos de Tóquio seria o dobro do oficial. De acordo com estudo publicado pela Universidade de Oxford no mês passado, a Olimpíada de 2021 será a mais cara da história entre os Jogos de verão de sua história.

A pandemia do novo coronavírus agravou a situação financeira do Comitê Organizador. Segundo estimativa do Comitê Olímpico Internacional (COI), o adiamento, deste ano para 2021, anunciado em março, deve acrescentar ao menos US$ 800 milhões (R$ 4,4 bilhões) nos custos da organização.

Diante desta preocupação, o Comitê Organizador decidiu estabelecer medidas para reduzir os gastos. Nesta quarta, anunciou uma lista de 50 medidas de "simplificação". De forma geral, a entidade quer reduzir o gasto com imagem e aparência dos locais de competição e também na Vila Olímpica; otimizar as operações do revezamento da tocha olímpica; estimular patrocinadores e acionistas a enviar equipes menores a Tóquio; e otimizar os planos de equipes do próprio Comitê Organizador.

De acordo com a organização dos Jogos, essas são as bases da redução de custos. Mas serão apenas as primeiras decisões. Mais medidas para economizar devem ser anunciadas nas próximas semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada 2020 TóquioParaolimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.