Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Al Bello / AFP
Al Bello / AFP

Osaka quer estar em Tóquio 'na melhor forma' e voltará a falar com a imprensa

Tenista japonesa teve uma crise de ansiedade que a fez abandonar Roland Garros e desistir de disputar o torneio de Wimbledon 

AFP, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2021 | 14h46

A tenista japonesa Naomi Osaka declarou nesta segunda-feira que espera "chegar em sua melhor forma" aos Jogos Olímpicos de Tóquio e que participará de coletivas de imprensa, após ter abandonado Roland Garros e não ter participado de Wimbledon por problemas de ansiedade. 

"Estou me preparando aos poucos para chegar no meu melhor nível de forma em Tóquio", disse a japonesa em entrevista ao grupo de comunicação NHK. "Depois de chamar a atenção de todo o mundo, ainda tenho ataques de ansiedade. Principalmente quando as grandes competições estão chegando", explicou Osaka, que recebeu uma multa de 15 mil dólares e um aviso de possível desclassificação caso não cumprisse os compromissos obrigatórios com a mídia. 

Durante o Gran Slam francês, a tenista alegou problemas de ansiedade para não participar das entrevistas coletivas e em seguida abandonou a competição em Paris. Os organizadores de Roland Garros se defenderam ao afirmar terem tratado a tenista "com carinho e respeito", após serem acusados de falta de sensibilidade. Logo depois, a japonesa decidiu não participar de Wimbledon. 

Vencedora de quatro torneios do Grand Slam e a atleta feminina mais bem paga do mundo, Osaka declarou que estava "orgulhosa" de representar o Japão nos Jogos de Tóquio. "Desta vez, os Jogos estão sendo disputados no Japão, onde nasci. Tenho muitas boas lembranças do Japão. Estou orgulhosa como membro da equipe japonesa para os Jogos", afirmou. 

"Passei muito tempo com a minha família, consegui relaxar mental e fisicamente", acrescentou Osaka. “A partir de agora voltarei às coletivas de imprensa, sempre pensando na minha saúde mental”, concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.