Washington Alves / Exemplus/COB
Washington Alves / Exemplus/COB

Pan de canoagem slalom no Rio é cancelado e vagas olímpicas ficam indefinidas

Competição distribuiria quatro vagas aos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, uma em cada uma das provas da modalidade (C1 e K1, masculino e feminino)

Redação, Estadão Conteúdo

25 de março de 2021 | 14h15

As Federações Internacional (ICF, na sigla em inglês) e Pan-Americana (Copac, na sigla em inglês) de Canoagem anunciaram em conjunto nesta quinta-feira o cancelamento do Campeonato Pan-Americano de canoagem slalom, que estava programado para acontecer entre 29 de abril e 2 de maio, no Parque Deodoro, no Rio de Janeiro. A decisão ocorreu por conta do acelerado ritmo da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

A competição distribuiria quatro vagas aos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, uma em cada uma das provas da modalidade (C1 e K1, masculino e feminino). Agora, por conta do cancelamento, a ICF anunciou que precisará rever o seu sistema qualificatório junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para encontrar a melhor forma de realocar essas cotas.

"Num mundo perfeito teríamos os melhores remadores do continente no Rio, tendo as mesmas oportunidades de treinamento, lutando por uma vaga nos Jogos Olímpicos. Mas este não é um mundo perfeito. A Copac, os organizadores do evento e a ICF trabalharam o máximo que pudemos para realizar este evento, mas infelizmente a situação da covid-19 no Brasil torna impossível para nós convidar atletas e dirigentes para o Rio para a competição", disse o secretário-geral da ICF, Simon Toulson.

A situação de incerteza quanto à distribuição das vagas olímpicas é semelhante a que ocorre com a canoagem velocidade, que teve, há cerca de 20 dias, seu Pan-Americano cancelado, com sede em Curitiba. O evento também seria um qualificatório para os Jogos de Tóquio-2020 e a realocação está sendo discutida com o COI.

Cerca de 80% das vagas totais da canoagem slalom já foram preenchidas para Tóquio-2020, restando apenas as definições continentais das Américas, da Ásia e da Europa, além dos convites à Tripartite. O Brasil tem dois atletas garantidos em três provas diferentes: Ana Sátila, no C-1 e K-1 feminino, e Pepê Gonçalves, no K-1 masculino.

"Ninguém gostar de ter que mudar planos, mas temos certeza de que todos entendem a crise que o mundo está vivendo neste momento. Em muitas partes do mundo os atletas ainda não podem viajar, ou mesmo treinar. Decidimos que é melhor adiar esses eventos até um momento em que possamos receber as competições de maneira mais segura e justa", completou Toulson.

Outros três eventos na Europa também sofreram alteração pela ICF por conta do novo coronavírus. O Mundial Junior e Sub-23 de canoagem velocidade, em Portugal, o Mundial de stand up paddling, na Hungria, e a etapa da Copa do Mundo de águas bravas, na França, foram adiados para o segundo semestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.