Reprodução
Reprodução

Paralimpíada: aplicativo traças as rotas mais acessíveis do Rio para cadeirantes

Disponível para Android, ferramenta traçar as rotas mais acessíveis da cidade

Clarissa Thomé, Rio de Janeiro, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2016 | 07h00

Um aplicativo para celular pode ajudar cadeirantes a se locomoverem pelo Rio com mais facilidade. O Livrit, disponível para Android, ajuda a traçar as rotas mais acessíveis da cidade. As calçadas do Centro, da zona sul e o trajeto entre o transporte público e as arenas paralímpicas, na zona oeste, podem se tornar armadilhas, como mostrou o Estado nesta segunda-feira, 5, em reportagem que acompanhou um cadeirante e uma cega pelas principais rotas da Paralimpíada.

“As calçadas são a base de qualquer modal de transporte. A gente vê a tecnologia voltada para melhorar o serviço de transporte e tem uma lacuna de pouco esforço com base tecnológica para melhorar as calçadas”, afirmou o arquiteto Chico Viniegra, de 36 anos, criador do aplicativo.

O foco do Livrit são as pessoas com mobilidade reduzida – cadeirantes, idosos, pessoas com carrinho de bebê. “Esses são os mais afetados pela má conservação, mas o Livrit é bom para todo mundo. A calçada com pavimentação ruim pode provocar acidente”, lembra Viniegra, especialista em planejamento urbano.

A equipe do aplicativo mapeou a cidade e as áreas acessíveis são destacadas em azul. Pins em amarelo identificam obstáculos médios e os em vermelho mostram as dificuldades maiores, como uma rampa danificada.

As rotas trazem indicação de restaurante, meios de transporte naquela região e  locais de interesse, como museus, shoppings e pontos turísticos. O aplicativo também é plataforma colaborativa. Os usuários podem notificar problemas e enviar foto do obstáculo, como um poste no meio da calçada ou calçadas estreitas.

Uma parceria com a prefeitura permite identificar os pontos com maior concentração de serviços para pessoas com deficiência, como centros de reabilitação, hospitais, escolas. “Esses dados são importantes para o poder público mapear os locais em que o cadeirante circula e poder priorizar o investimento”, afirmou Viniegra. 

O Livrit teve apoio do programa de empreendedorismo do Sebrae, foi uma das cinco startups selecionadas no Desafio Cisco de Inovação Urbana – Porto Maravilha, entre 104 projetos que apresentaram soluções urbanas inteligentes; e foi o vencedor, na categoria acessibilidade, do prêmio sueco Olympic City Transport Challenge. 

Tudo o que sabemos sobre:
ParalimpíadaAndroidSebrae

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.