Kim Kyung-Hoon / Reuters
Kim Kyung-Hoon / Reuters

Paralimpíada de Tóquio tem quase 300 casos de coronavírus ligados ao evento

Embora não estivessem em estado grave, duas pessoas foram hospitalizadas, entre elas uma era atleta

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2021 | 13h55

A situação da pandemia de coronavírus continua grave no Japão. A Paralimpíada de Tóquio vem sendo afetada desde antes da primeira prova. Até o momento, 275 casos de covid-19 em pessoas ligadas ao evento esportivo já foram detectados, sendo que duas pessoas foram hospitalizadas e uma dessas era era atleta.

Por medida de segurança, a organização dos Jogos não revelou o nome do atleta contaminado nem o esporte que pratica tampouco a nacionalidade. Apenas garantiu que ele não se encontrava em estado grave. Foi o primeiro caso de atleta hospitalizado, contando Olimpíada e Paralimpíada. Da mesma forma, a porta-voz do comitê organizador local, Masanori Takaya, não revelou a função do outro trabalhador dos Jogos que foi para o hospital, embora tenha garantido que também não era um caso grave de covid-19.

Mais de 4,4 mil competidores foram selecionados para competir nos Jogos Paralímpicos, que acabam neste domingo, dia 5. Preocupados com a emergência sanitária, os organizadores reforçaram ainda mais o controle dos atletas às medidas de prevenção contra a doença.

A principal medida foi que viajantes de outros países que fossem atletas, membros de delegações ou da imprensa só pudessem frequentar locais autorizados com limite de tempo e em transportes cadastrados dos Jogos Paralímpicos. Na Olimpíada, essas restrições eram válidas apenas durante um período de quarentena de 14 dias, logo após a chegada ao país; agora, ele foi durante todo o período de estadia no Japão.

Outras medidas foram a ampliação da testagem entre os atletas e exigências maiores de distanciamento social do que os protocolos seguidos na Olimpíada. As competições também ocorreram completamente sem público. O trabalho para conter a pandemia em meio aos Jogos foi elogiado por Étienne Thobois, presidente-executivo dos próximos Jogos, de Paris-2024. "Eles tiveram de lidar com isso e fizeram um trabalho fantástico. Obviamente, esperamos que daqui a três anos isso fique para trás, ou não com o mesmo nível de preocupações. Mas definitivamente aprendemos com isso", afirmou Thobois à agência Reuters.

De acordo com a universidade americana Johns Hopkins, o Japão contabiliza, desde o início da pandemia, 1,5 milhão de casos do coronavírus Sars-CoV-2 e pouco mais de 16 mil mortes. Nos últimos dias, o país asiático registrou mais de 21 mil casos diariamente, enquanto cerca de 50% da população já recebeu as duas doses da vacina. Cidades como Tóquio passaram a Paralimpíada em estado de emergência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.