Passagem da tocha pelo Tibete é reduzida a apenas um dia

Além do luto nacional de 3 dias pelas vítimas do terremoto, cerimônia é alterada devido aos protestos anti-China

BBC Brasil,

26 de maio de 2008 | 11h23

A passagem da tocha olímpica pelo Tibete terá apenas um dia de duração, em vez dos três antes programados, disse nesta segunda-feira uma autoridade do departamento responsável pelo revezamento da tocha do Comitê Organizador da Olimpíada de Pequim.O revezamento, que foi interrompido por protestos pró-Tibete durante a passagem por cidades como Londres e Paris, estava programado para visitar Shannan Diqu em 19 de junho e Lhasa nos dois dias seguintes.A programação do revezamento já foi alterada, depois da desistência de Taiwan em 2007, para acomodar o trajeto após o luto nacional de três dias, pelas vítimas do terremoto. A passagem da tocha pela província de Sichuan, que aconteceria de 3 a 5 de agosto, também foi mudada.Uma tocha olímpica alternativa esteve no Tibete no começo de maio, para a escalada ao topo do monte Everest, o mais alto do mundo. A mídia relatou que o evento foi fortemente controlado, assim como as visitas a Lhasa, palco das revoltas de 14 de março, que se espalharam para outras áreas tibetanas do oeste da China.Doações em dinheiro estão sendo arrecadadas para ajudar as vítimas do terremoto de 12 de maio, que já matou mais de 60 mil pessoas. "Há muita paixão olímpica", disse Li. "Mas as pessoas ao longo da rota também carregam cartazes, dizendo: 'Venha para Sichuan"'.   O revezamento continua pela província de Jiangsu, na costa leste do país, na segunda e na terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.