Bruno Lorenzo/ Rio Open 2016
Bruno Lorenzo/ Rio Open 2016

Pela Olimpíada, Rogerinho defende o Brasil na Copa Davis

Tenista foi escolhido para o confronto contra o Equador, que começa nesta sexta-feira, para atender pedido da ITF para os Jogos

Nathalia Garcia, enviada especial a Belo Horizonte, O ESTADO S.PAULO

15 de julho de 2016 | 07h00

Thomaz Bellucci, Bruno Soares e Marcelo Melo têm lugar cativo na equipe brasileira na Copa Davis, já o posto de tenista número 2 do País passa por um rodízio. Contra o Equador, em Belo Horizonte, a chance será de Rogério Dutra Silva. De acordo com o presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Jorge Lacerda, um motivo técnico determinou a escolha. 

A ascensão de Thiago Monteiro no circuito de tênis nesta temporada seria reconhecida com a convocação para a disputa, que começa hoje e vai até domingo. No entanto, Rogerinho dependia da participação na Davis para assegurar uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio.

“A tendência era vir o Thiago para ganhar experiência. Mas a ITF recomendou que todos os jogadores classificados para a Olimpíada jogassem a Davis para não correr risco. O João (Zwetsch) conversou com o Rogério, que prontamente aceitou. E o Thiago montou o calendário dele”, disse ao Estado

De acordo com a regra, os tenistas devem somar três participações na Copa Davis no ciclo olímpico, sendo uma vez nos dois últimos anos, para poder disputar a Olimpíada. Assim, Rogerinho voltou a representar o Brasil depois de dois anos.

Será também do tenista a responsabilidade de abrir a série de confrontos contra os equatorianos pelo Zonal Americano I. Às 16 horas, o número 90 do mundo enfrentará Emílio Gomez (317º). “É bom abrir o confronto, achei bacana. Vou fazer o meu melhor e quem sabe sair com o primeiro ponto para dar tranquilidade para o Thomaz.”

Diante de Roberto Quiroz, Bellucci fará o segundo duelo do dia na Arena Minas Tênis Clube. Os dois equatorianos foram escalados para simples e duplas, mas o capitão Raul Viver pode trocá-los por Gonzalo Escobar ou Ivan Endara até uma hora antes de cada partida. Amanhã, às 14h, será a vez de Melo e Soares. Em oito encontros na Davis, o Brasil ganhou cinco, contra três do Equador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.