Pelé leva campanha por Rio-2016 à Cidade Proibida

Pelé aproveitou visita neste sábado àCidade Proibida, num evento para prestar solidariedade pelasvítimas do terremoto que devastou a província chinesa deSichuan em maio, e exerceu seu papel de garoto-propaganda dacandidatura do Rio de Janeiro à sede dos Jogos Olímpicos de2016. A visita a um dos locais mais procurados por turistas emPequim foi rápida, mas reuniu uma dezena de repórteres,fotógrafos e cinegrafistas que viram o rei do futebol assinarbolas e uma camisa 10 da seleção brasileira que vestiu opequeno Lin Hou, de 9 anos, considerado herói na China depoisque ajudou a salvar crianças soterradas em uma escola que ficouem ruínas no terremoto. O garoto também desfilou na cerimônia de abertura com oastro do basquete chinês, Yao Ming. Sorrindo muito e acompanhado pelo secretário-geral doComitê Olímpico Brasileiro, Carlos Roberto Osório, Pelé segurouLin no colo em pose para fotógrafos e cinegrafistas, depois defazer de uma curta caminhada segurando uma tocha apagada commotivos dos Jogos de Pequim. "Quero parabenizar o grande sucesso desta Olimpíada eaproveitar para convidar vocês ao Rio de Janeiro em 2016",disse Pelé em breves comentários feitos a jornalistas, cujapresença irritou parte do público que não pôde ver Pelé direitopor causa da imprensa que ficou posicionada na frente. "Fico feliz porque o povo ainda me respeita mesmo depois detantos anos sem jogar futebol", disse Pelé, que chegou a Pequimhá três dias e já se encontrou com membros do Comitê OlímpicoInternacional e viu a atleta Maurren Maggi ganhar o ouro navéspera. "Brasil, Brasil, obrigado, obrigado", disse Peléaleatoriamente depois de posar para as fotos. (Edição de Pedro Fonseca)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.