Pequim inaugura o 'Cubo de Água', o centro aquático dos Jogos

Apelido é por ter uma estrutura retangular coberta com membranas plásticas e custo de quase R$ 196 milhões

EFE

28 de janeiro de 2008 | 08h47

Pequim abriu nesta segunda-feira as portas do Centro Aquático Nacional, conhecido popularmente como o "Cubo de Água" devido a sua estrutura retangular, coberta por singulares membranas plásticas poliédricas que permitem a passagem da luz natural e que o transformaram em um dos principais projetos dos Jogos Olímpicos. Este cubo transparente, ao alcance das mãos de qualquer curioso que queira comprovar sua textura esponjosa, permitem que este espaço arquitetônico seja iluminado em 90% por luz solar e fazem com que a água da piscina se reflita pelo interior de toda a estrutura. Mais de US$ 110 milhões (R$ 196 milhões) foram investidos na construção do Centro Aquático Nacional, fornecidos integralmente por Macau, Hong Kong e Taiwan, por isso, segundo o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Pequim 2008 (Bocog), representa os bons desejos, a solidariedade e o compromisso do povo chinês com o evento. Durante os Jogos serão distribuídas 42 medalhas de ouro no "Cubo de Água", nas provas de natação, saltos e natação sincronizada. O centro aquático terá capacidade para 17 mil espectadores, graças aos 11 mil assentos adicionais que serão colocados para os Jogos e retirados após o evento, quando se transformará em um centro lúdico ao alcance de todos os moradores de Pequim. O edifício, a que se tem acesso através de pontes, está cercado por um fosso com água e forma um conjunto arquitetônico com o outro grande projeto destes Jogos, o Estádio Olímpico Nacional - o "Ninho" -, ambos eqüidistantes do eixo norte-sul de Pequim. Foram necessários quatro anos e 6.700 toneladas de aço para levantar o "Cubo de Água", desenhado pelo arquiteto australiano John Pauline e construído sobre uma superfície de 80 mil metros quadrados. O "Cubo de Água" será inaugurado oficialmente na quinta-feira, quando começará o pré-olímpico de natação, que durará até 5 de fevereiro. No final de fevereiro, o centro aquático sediará o Mundial de saltos da Federação Internacional de Natação.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.