Pequim oferece recompensa por informações de segurança

Governo afirma que medida irá 'mobilizar o entusiasmo das massas quanto à manutenção' da ordem pública

Reuters

11 de julho de 2008 | 09h22

A polícia de Pequim está oferecendo recompensas de até US$ 73.150 dólares (aproximadamente R$116 mil) para as pessoas que fornecerem pistas de "grandes ameaças à segurança" durante as Olimpíadas, informou a mídia estatal chinesa nesta sexta-feira. As recompensas servem para "mobilizar o entusiasmo das massas quanto à manutenção da segurança pública, assim como controlar e eliminar riscos secretos aos Jogos Olímpicos", disse uma nota da polícia, segundo a agência de notícias oficial Xinhua. "A notícia tem de conter uma informação substancial sobre ataques terroristas, sabotagem por parte de organizações ilegais e casos envolvendo mortes de estrangeiros e de pessoas relacionadas à Olimpíada, grandes falhas de segurança e casos criminais", disse a reportagem. Ávida por mostrar-se como uma economia moderna e poderosa, a China já instituiu uma série de medidas de segurança. Entre as medidas, estarão em uso uma força antiterrorismo de 100 mil integrantes, mísseis terra-ar nos maiores locais de competição e revistas das bagagens dos passageiros do metrô. Mas grupos em defesa dos direitos humanos dizem que a China está usando a segurança olímpica como desculpa para reprimir os opositores internos, principalmente em Xinjiang (no oeste chinês) e no Tibete, palco de revoltas que despertaram protestos anti-China no mundo inteiro. (Por Ben Blanchard)  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.