Pequim proíbe carne de cachorro nos Jogos Olímpicos

Proibição estará vigente até setembro, segundo uma circular enviada aos restaurantes de Pequim

Efe,

11 de julho de 2008 | 06h12

O governo chinês proibiu os restaurantes locais de servirem pratos com carne de cachorro durante os Jogos Olímpicos. Segundo o subdiretor do Birô de Turismo de Pequim, Xiong Yumei, a decisão de proibir a venda de carne de cachorro foi adotada para "evitar conflitos". Acompanhe a cobertura completa dos Jogos Olímpicos "Se um dos clientes pedir carne de cachorro, os funcionários do restaurante deverão pacientemente sugerir outra opção", informou Xiong Yumei, diretor do Centro de Turismo de Pequim à Xinhua. "A medida foi implementada para respeitar os hábitos de muitos países e nacionalidades", segundo fontes do departamento de alimentação municipal.  A carne de cachorro é popular no cardápio de vários restaurantes de culinária coreana presentes na capital chinesa. Em províncias do sul do país, no entanto, como Yunnan e Guizhou, o prato já foi incorporado aos hábitos alimentares de milhares de chineses.  O hábito de comer carne de cachorro na China prevalece sobretudo na majoritária etnia Han, enquanto outras a consideram um tabu. A proibição estará vigente até setembro, segundo uma circular enviada aos restaurantes de Pequim, informou a agência Xinhua.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Jogos Olímpicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.