David Gray/ Reuters
David Gray/ Reuters

Phelps revela ter aconselhado Lochte antes de confusão no Rio

Maior campeão olímpico, o nadador disse para compatriota ter cabeça no lugar

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2016 | 08h58

Toda a polêmica do falso assalto no Rio de Janeiro, envolvendo o americano Ryan Lochte nos Jogos Olímpicos, poderia ter sido evitada se o nadador tivesse ouvido o compatriota Michael Phelps. Em entrevista à agência de notícias AP, o astro da natação revelou ter dado conselhos ao amigo.

"Eu tive uma conversa com ele cerca de dois dias antes (do acontecimento) sobre não fazer nada errado. Eu lhe disse: apenas mantenha a cabeça no lugar. Apenas se diverta", contou o maior campeão da história da Olimpíada, com 28 medalhas.

Os competidores dos Estados Unidos, Ryan Lochte, James Feigen, Gunnas Bentz e Jack Conger afirmaram terem sido vítimas de um assalto à mão armada após uma festa na Casa da França, na Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro, na noite de 14 de agosto. Após a história ter sido comprovada falsa, a investigação levou para uma confusão em um posto de gasolina, onde eles teriam praticado vandalismo no banheiro, gerando confusão com funcionários.

O episódio causou consequências na carreira de Lochte. Aos 32 anos, o campeão olímpico perdeu seus quatro patrocinadores pessoais, além de levar uma suspensão do Comitê Olímpico Americano e da USA Swimming, por dez meses, devido à falsa comunicação de crime e mau comportamento. Sem poder competir até 30 de junho, o nadador ainda terá que prestar 20 horas de serviços comunitários e perderá o prêmio pela conquista do ouro no revezamento 4x200. livre, no Rio de Janeiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.