Pistorius afirma que Londres é objetivo mais real que Pequim

Alteta, que corre com próteses nas pernas, não conseguiu índice para os 400 metros; mas ainda tem chances

EFE

19 de maio de 2008 | 15h01

O atleta sul-africano Oscar Pistorius, que compete com próteses nas pernas, disse ao voltar a seu país que participar dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, é um objetivo mais realista que competir este ano em Pequim. Mesmo assim, o atleta confirmou participação em algumas provas nas próximas semanas com vistas à possibilidade de obter a marca mínima para participar dos 400 metros - que é 45s55 ou 45s95, esta última como índice B se ninguém conseguir obter o primeiro. O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, em francês) anunciou nessa sexta, 16, que Pistorius poderia disputar os Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto, apesar de a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, em inglês) determinar que suas próteses lhe dão vantagem em relação aos adversários. Embora Pistorius não tenha obtido a marca mínima para correr os 400 metros, ele pode ser selecionado para o revezamento da mesma distância, pois neste caso não é necessário um tempo específico. O atleta, de 21 anos, já disputou duas provas com atletas não deficientes em 2001. Ele foi segundo na corrida B do Meeting de Roma, com uma marca de 46s90, e foi eliminado por queimar a largada em Sheffield, na Inglaterra. O sul-africano, recordista mundial paraolímpico dos 100, 200 e 400 metros, começou a correr cinco anos após uma lesão jogando rugby, e nove meses depois levou o ouro nos 200m dos Jogos Paraolímpicos de Atenas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.