Polícia prende três em revezamento da tocha na Malásia

Três ativistas desenrolaram uma bandeira tibetana antes do revezamento em Kuala Lampur

AP

21 de abril de 2008 | 07h13

A polícia da Malásia prendeu nesta segunda-feira uma família de três japoneses que exibiram uma bandeira tibetana momentos antes do revezamento da tocha olímpica em Kuala Lampur, a capital do país. Mais de mil homens fazem a segurança da cerimônia. Segundo testemunhas presentes no local, um casal e seu filho foram hostilizados por chineses presentes no local. Mais de uma hora depois o presidente do Comitê Olímpico Malaio, Imran Jaafar, inaugurou o revezamento de 16 quilômetros. Milhares de chineneses se reuniram de vermelho para assistir ao revezamento. Muitos usavam vermelho, com bandeiras do país e faixas dizendo "Ninguém pode dividir a China".   Ainda de acordo com testemunhas, os japoneses desenrolaram a bandeira e gritaram "Libertem o Tibete". Segundo a polícia, os japoneses foram presos para avaliação. Um monge foi detido também antes do revezamento por "precaução, declarou o chefe de segurança da cidade, Muhammad Sabtu Osman.Críticas à situação dos direitos humanos na China têm marcado o revezamento da tocha pelo mundo. Protestos contrários à repressão chinesa no Tibete aconteceram em Paris, Londres e em São Francisco. Medo de novos protestos fizeram o governo malaio reforçar a segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaChinaTibeteMalásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.