Por Pequim, China pode mudar política de emissão de vistos

China espera receber cerca de 1,5 milhão de visitantes por conta dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008

EFE

24 de abril de 2008 | 12h59

O governo chinês reconheceu nesta quinta-feira implicitamente a modificação de sua política de emissão de vistos por conta dos Jogos Olímpicos de Pequim, com início previsto para 8 de agosto. "O procedimento está de acordo com a lei e as recentes edições dos Jogos Olímpicos e competições internacionais", afirmou a porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores, Jiang Yu. "Não temos certeza de quantos estrangeiros virão, mas lhes daremos as boas-vindas e tornaremos sua estadia agradável", disse a porta-voz ao responder perguntas sobre a restrição a vistos de um mês e entrada única, iniciada em 27 de março e até 17 de outubro.Veja também: O trajeto completo do revezamento da tocha pelo mundoSem mudar a lei e alegando necessidade de segurança para os Jogos, o Escritório de Segurança Pública iniciou a limitação de vistos para o país, que prometeu receber 1,5 milhão de visitantes por conta do evento. Segundo Jiang, o sistema chinês é muito adequado se comparado com o de outros países, comentou a porta-voz.Alguns estudantes estrangeiros que fazem cursos curtos de mandarim comemoram o fim da obrigação de sair da China para renovar o visto, mas a medida não é bem vista na comunidade empresarial. As câmaras de comércio européia e dos Estados Unidos vêm sofrendo, pois seus funcionários precisarão renovar os vistos de trabalho. Segundo o presidente da câmara americana, Richard Vuylsteke, é difícil prever as conseqüências desta restrição à circulação de pessoas.Diplomatas ocidentais consultados pela Efe disseram que, como a lei não mudou - conforme as autoridades insistem em explicar - é muito difícil aplicar a reciprocidade aos vistos dos chineses. Pequim alega que o procedimento é necessário para garantir a segurança durante os Jogos. Até mesmo os cidadãos de Cingapura, que podiam ficar 15 dias na China sem visto, serão afetados pela mudança.Fontes da embaixada do Japão - que tinham o mesmo privilégio de Cingapura - garantiram que a regra não mudará para eles, o que foi representado como um gesto pela visita programada do presidente da China, Hu Jintao, a Tóquio.Aparentemente, para entrar na China durante os Jogos também será necessário mostrar comprovantes de ingressos para o evento. A solicitação será feita diante da conturbada passagem da tocha olímpica por Paris, Londres e San Francisco.A região do Tibete, para a qual é necessária outra permissão especial além do visto, segue fechada para o turismo desde a onda de violência de 14 de março.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaPequim 2008Olimpíadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.