Divulgação
Divulgação

Prefeitura assume dívida de construtora com operários do Centro de Tênis no Rio

Trabalhadores demitidos cobravam valor de rescisão

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2016 | 20h28

A prefeitura do Rio resolveu assumir a dívida que o consórcio responsável pela construção do Centro de Tênis, no Parque Olímpico, tem com os funcionários que trabalharam na obra. O prefeito Eduardo Paes anunciou nesta terça-feira que o município irá pagar a rescisão dos operários e depois descontar do valor que deve ser repassado à construtora pela obra.

Em dezembro, os operários que trabalharam no Centro de Tênis foram demitidos e não receberam a verba rescisória e o pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Isso acabou provocando três protestos de trabalhadores nos primeiros dias do ano. Em um deles, um contêiner com material de construção acabou pegando fogo.

"Hoje (terça-feira) pela manhã, nós chegamos a um acordo com o sindicato. Vamos pagar o FGTS dos trabalhadores e depois vamos descontar isso do que a empresa tem a receber", disse Eduardo Paes, durante apresentação da Arena Carioca 1, também localizada no Parque Olímpico e que sediará a competição de basquete nos Jogos do Rio-2016.

O consórcio é formado pelas construtoras Ibeg/Tangran/Damiani. É a Ibeg que passa por dificuldades financeiras. A empreiteira, inclusive, está com problemas para finalizar obras no lado sul do Complexo de Deodoro.

Eduardo Paes reconheceu o imbróglio em Deodoro, mas procurou não demonstrar preocupação com eventuais atrasos - mesmo admitindo que isso deverá acabar na Justiça. "Temos um problema oficial em Deodoro, na parte equestre. Mas falta pouca coisa para a obra terminar. Já estamos notificando a empresa e podemos ter um embate jurídico", afirmou.

As declarações do prefeito foram dadas logo após ele apresentar a Arena Carioca 1. Com capacidade para 16 mil pessoas - número que será reduzido para 7,5 mil após a Olimpíada -, o local sediará as competições de basquete, basquete em cadeira de rodas e rúgbi em cadeira de rodas.

A arena será a segunda do Parque Olímpico a receber um evento teste. A partir desta sexta-feira, o local sediará o evento-teste de basquete feminino, que contará com as seleções de Brasil, Austrália, Venezuela e Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.