Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

'Presidente da Confederação é um mentiroso', diz Isaquias

Atleta do Brasil acusa cartola da canoagem de atrasar salários

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2015 | 12h17

A resposta de Isaquias Queiroz foi imediata. "Se ele falar que é o João Tomasini, eu só acredito se ele mostrar o documento, de tanto que ele mente." A declaração, contra o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), é do principal nome da canoagem brasileira velocidade, que nesta sexta-feira liderou um boicote do time da canoa masculina ao evento-teste da modalidade para a Olimpíada do Rio.

Ele, Erlon de Souza, Nivalter Santos e Ronilson de Oliveira resolveram não competir na Lagoa Rodrigo de Freitas alegando que a CBCa não paga há oito meses o salário combinado com os quatro atletas do Brasil. A verba da entidade é obtida por meio do patrocínio do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento). De acordo com Isaquias, os atletas não estão reclamando por estarem recebendo menos recursos do que deveriam. A crítica é pelo fato de os valores estarem sendo repassados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), enquanto BNDES e CBCa postergam há oito meses o início dos pagamentos.

"Imagina assim: a Confederação chega e fala 'Nivalter, vou pagar você', mas depois não paga. 'Só que você vai representar meu nome e vou guardar meu dinheiro'. O COB paga, o BNDES guarda o dinheiro deles. O COB viu que a gente ia ficar sem receber e se ofereceu para pagar por três meses. A Confederação viu e foi deixando", explicou Isaquias, em conversa com a reportagem do Estado, junto com os companheiros, por teleconferência nesta sexta.

O incômodo da seleção brasileira masculina de canoa (os atletas do caiaque e da canoa feminina, de menor nível técnico, não recebem tais valores e não fazem parte do boicote) é com a alegada falta de palavra de João Tomasini, presidente da CBCa desde abriu de 1988. "Ele disse que a gente ia ter uma camisa para divulgar o nosso patrocinador, depois disse que podia ter só BNDES. Quando a gente falou que ele tinha prometido, ele disse que não falou nada. Aí ele disse: 'Você me chamou de mentiroso'. Mas quem falta com a verdade é mentiroso", continua Isaquias.

Candidato a três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, Isaquias reclama que, sem poder divulgar seus patrocinadores pessoais (ele é atleta da Petrobrás), corre o risco de perder o suporte. Ele, Erlon, Nivalter e Ronilson pretendem entrar de férias já neste sábado. Os quatro participaram do Campeonato Mundial, em Milão (Itália), há duas semanas. Isaquias e Erlon venceram o C2 1.000m, enquanto Isaquias também foi bronze no C1 200m. O baiano é especialista no C1 1.000m (foi bronze em 2013) e não participou desta prova para se focar nas outras, que ofereciam classificação olímpica pelo Mundial. Agora que mostrou condições de subir ao pódio nas três provas da canoa, pode participar de todas na Olimpíada. Se isso acontecer, só ele e Erlon estarão nos Jogos. Nivalter só irá se Isaquias abrir mão dos C1 200m.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.