Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Takashi Aoyama / POOL / AFP
Takashi Aoyama / POOL / AFP

Presidente do COI comete gafe em Tóquio e chama anfitriões da Olimpíada de chineses

Thomas Bach comete erro durante discurso na cidade-sede do evento nesta terça-feira, e equívoco rapidamente se espalha pelo Japão

Redação, Estadao Conteudo

13 de julho de 2021 | 19h38

Thomas Bach finalmente apareceu em público em Tóquio após 10 dias no Japão para a realização dos Jogos Olímpicos. E o primeiro ato do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) foi logo comentando uma gafe. Ele se referiu aos anfitriões chamando-os de "chineses."

Bach fazia um discurso estimulante na sede dos Jogos Olímpicos de Tóquio, quando cometeu o erro, rapidamente corrigido. "Vocês conseguiram fazer de Tóquio a cidade mais bem preparada de todos os tempos para os Jogos Olímpicos. Isso é ainda mais notável sob as circunstâncias difíceis que todos nós temos que enfrentar", começou, antes do deslize.

"Nosso objetivo comum são jogos seguros e protegidos para todos; para os atletas, todas as delegações, e mais importante também para o povo chinês. Povo japonês", disse Bach, percebendo e corrigindo rapidamente seu erro.

Rapidamente a gafe se espalhou pelo país. O discurso, em inglês, terminou com uma saudação em japonês para minimizar a grave falha. "Gambari mashou", afirmou, que se traduz como "Vamos fazer o nosso melhor."

A abertura da Olimpíada acontece daqui 10 dias. E o dirigente estará na cerimônia. Apesar da presença das autoridades, organizadores e o COI decidiram na semana passada banir os fãs de quase todas as disputas em medida de combate à covid-19. O estado de emergência entrou em vigor na segunda-feira e vai até 22 de agosto.

Os organizadores dos Jogos foram criticados por levarem adiante a competição durante a pandemia. Serão aproximadamente 11 mil atletas entrando no país, além de técnicos e comissão, funcionários, juízes e jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.