Márcio Rodrigues / CPB
Márcio Rodrigues / CPB

Presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Andrew Parsons vira membro do COI

Brasileiro e mais oito pessoas foram introduzidas na entidade em evento realizado em Buenos Aires

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2018 | 16h14

Atual presidente do Comitê Paralímpico Internacional, o brasileiro Andrew Parsons foi eleito nesta terça-feira membro do Comitê Olímpico Internacional (COI). Ele e mais oito pessoas foram introduzidas na entidade em evento realizado em Buenos Aires, onde está sendo disputada a Olimpíada da Juventude.

"Eu gostaria de agradecer aos membros do COI pela escolha pelo meu nome, o que acredito que deve fortalecer a relação que existe agora entre o Comitê Paralímpico e o COI e também os movimentos olímpicos e paralímpicos", declarou Parsons, de 41 anos.

Parsons foi eleito para presidir o Comitê Paralímpico Internacional, após ser presidente do Comitê Paralímpico do Brasil (CPB), em setembro do ano passado. Na ocasião, estabeleceu como meta aproximar o Comitê Paralímpico do COI. Em março deste ano, ele assinou um acordo com o presidente da entidade, Thomas Bach, para aprofundar a relação entre as duas entidades até 2032.

"Desde que assinamos o acordo, houve grande progresso e cooperação em todos os níveis entre as duas organizações. E o futuro parece agora muito empolgante. Ao trabalharmos juntos, nós poderemos fazer muito mais para usar o esporte como uma ferramenta para mudar a sociedade para melhor", afirmou o brasileiro.

Entre os demais oito novos membros do COI, os destaques são o japonês Morinari Watanabe, presidente da Federação Internacional de Ginástica; o italiano Giovanni Malagò, presidente do Comitê Olímpico da Itália; e o ugandense William Blick, presidente do Comitê Olímpico de Uganda.

Outro destaque é a afegã Samira Asghari. Com apenas 24 anos, ela integra a seleção de basquete do seu país. Há ainda na lista a lituana Daina Gudzineviciute, medalha de ouro no tiro esportivo nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000; a ex-enfermeira Felicite Rwemarika, de Ruanda; o paraguaio Camilo Perez e Jigyel Ugyen Wangchuck, príncipe do Butão.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.