Primeiro-ministro birmanês assistirá abertura dos Jogos

Organização espera receber dirigentes de diversas partes do mundo; líderes ameaçaram não comparecer

EFE

04 de agosto de 2008 | 00h58

Em mais uma prova das boas relações entre Mianmar (antiga Birmânia) e China, as autoridades birmanesas anunciaram nesta segunda-feira, que o primeiro-ministro do país, o general Than Shwe, assistirá à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim. A China recebeu inúmeras críticas por ser um dos principais apoiadores do isolado regime militar birmanês, já que não ajuda a promover a democracia no país do sudeste asiático, apesar de ser seu principal investidor, comprador de recursos e fornecedor de armas. Segundo informa a agência de notícias chinesa "Xinhua", o anúncio oficial da presença do general à inauguração dos Jogos foi realizado nesta segunda pelo Ministério de Esportes de Mianmar. Pequim deseja reunir uma centena de dirigentes do mundo todo nesta cerimônia, à qual alguns líderes e celebridades ameaçaram não comparecer, em protesto contra a falta de proteção aos direitos humanos na China, e seu apoio a regimes como o do Sudão. Mianmar enviará a Pequim uma delegação de 20 desportistas, dentre os quais se incluem atletas, nadadores, arqueiros e remadores.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.