Protestos marcam passagem da tocha olímpica por Londres

Pelo menos trinta pessoas foram presas na capital inglesa por protestos pró-Tibete, mesmo com a neve

EFE

06 de abril de 2008 | 09h11

Trinta pessoas foram detidas neste domingo durante o percurso da tocha dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 por Londres, onde o mau tempo e as várias manifestações ofuscaram o evento. As pessoas foram detidas em diferentes pontos da rota da chama olímpica "por diversos delitos relacionados à ordem pública", declarou um porta-voz da Scotland Yard.   Veja também:  A passagem da tocha por Londres O remador Steve Redgrave, dono de cinco medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, foi quem iniciou o revezamento da tocha olímpica em Londres, o qual começou no estádio de Wembley na presença da embaixadora chinesa no Reino Unido, Fu Ying. Já no início do trajeto, foram registrados incidentes com manifestantes que protestavam contra a repressão do Governo chinês no Tibete, onde oito pessoas teriam morrido na quinta-feira após tiros terem sido disparados contra monges e civis na província de Sichuan. A rota da tocha foi alterada na última hora para que a embaixadora Fu Ying pudesse transportá-la durante sua passagem por Chinatown, o bairro chinês situado no centro de Londres, onde foi recebida por críticos e defensores dos Jogos Olímpicos de Pequim. Posteriormente, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, recebeu a tocha na entrada de sua residência oficial, no número 10 de Downing Street, em um gesto criticado por ativistas contrários à repressão das autoridades chinesas no Tibete. Vários incidentes relacionados a protestos ocorreram ao longo do percurso da chama olímpica por Londres, o que aumentou a tensão nas ruas. Porém, não há registros de feridos. Um manifestante chegou a tomar a tocha das mãos de uma das participantes do revezamento, a apresentadora de televisão Konnie Huq, mas foi logo contido pela Polícia. Em outro ponto do trajeto, uma pessoa acionou um extintor de incêndio, assustando os que acompanhavam a passagem da chama. Apesar das constantes interrupções, a tocha - cercada o tempo todo por delegados olímpicos e policiais - continua sua viagem pela capital do Reino Unido em meio aos aplausos de parte do público e às centenas de estudantes chineses unidos em apoio aos Jogos. Cerca de 80 atletas e personalidades do Reino Unido carregarão a tocha por Londres em uma rota de quase 50 quilômetros. Além de Redgrave, carregaram a tocha outros dez campeões olímpicos, estudantes e personalidades como o veterano jornalista Trevor McDonald e a violinista Vanessa Mae. A corredora inglesa Kelly Holmes, que conquistou duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, encerrou o revezamento em Londres. Depois de chegar a Londres vinda da cidade russa de São Petersburgo, a tocha dos Jogos de Pequim segue para Paris.Atualizado às 11h53 para acréscimo de informações  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.