Ratos viram alvo de 'operação limpeza' para Olimpíada

Roedores transformam-se no maior alvo dos esforços de Pequim para apresentar uma cidade impecável

Lindsay Beck, REUTERS

14 de fevereiro de 2008 | 15h48

A China acaba de ingressar no Ano do Rato, mas os roedores pestilentos não são bem-vindos em sua capital. Os ratos transformaram-se no maior alvo dos esforços de Pequim para apresentar uma cidade impecável nas Olimpíadas de agosto. O governo da capital acaba de anunciar uma campanha para expulsar esses animais das instalações dos jogos. As autoridades vão agir nas instalações e locais de treino das Olimpíadas e nas áreas que se estendem por um raio de 1.000 metros ao redor delas, em meio a uma operação a ser iniciada neste mês, disse a agência de notícias Xinhua. "Os funcionários do setor de saúde de Pequim vão enviar equipes para inspecionar as missões de extermínio de ratos e vão cobrar multas dos que não cumprirem seu dever", disse, segundo a agência, Deng Xiaohong, um membro da secretaria de saúde de Pequim. Veneno de rato também deve ser colocado em hospitais, hotéis e restaurantes voltados para as Olimpíadas. O material iria ainda para locais onde os ratos costumam ser encontrados, como dutos subterrâneos e mercados de verduras. Pequim, que se desdobra para apresentar-se como uma cidade limpa e moderna na época dos Jogos, já lançou programas de combate às cusparadas na rua, ao hábito de furar fila e à prática de soltar vaias.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008ratos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.