Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Região da Candelária se prepara para receber a pira

Maior símbolo olímpico ficará fora do estádio pela primeira vez; local escolhido passou por grande revitalização

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2016 | 05h00

Tradicionalmente o maior dos símbolos dos Jogos Olímpicos, a pira olímpica dos Jogos disputados no Brasil ficará fora do estádio olímpico pela primeira vez em uma edição de verão do evento. Na Rio-2016, a estrutura será instalada na região central da cidade, entre a Igreja da Candelária - local da chacina de oito crianças e adolescentes em 23 de julho de 1993 - e a Baía de Guanabara. Mantida sob sigilo, a estrutura ainda está em construção, fechada por tapumes no canteiro de obras da área batizada de Esplanada da Candelária.

A área que abrigará a pira olímpica fica em um dos principais trechos do centro carioca, junto ao cruzamento da Avenida Presidente Vargas com a Rua Primeiro de Março. É uma região basicamente comercial, com a predominância de bancos e escritórios financeiros.

A Esplanada da Candelária integra o projeto de revitalização da zona portuária carioca, o chamado Porto Maravilha, onde ocupa 32.463 metros quadrados e 480 metros de extensão. Além da Igreja da Candelária, ficam ao lado do local reservado à pira alguns dos mais importantes museus e espaços culturais do Rio, como a Casa França-Brasil, o Centro Cultural Banco do Brasil e o Centro Cultural dos Correios. Também nas proximidades há diversas instalações da Marinha, com embarcações históricas e o acesso às ilhas das Cobras e Fiscal, esta também acessada por barco - a Baía de Guanabara fica próximo da área onde a pira ficará. 

A região sofre nos últimos anos com a degradação. Para o prefeito Eduardo Paes, as obras são um dos chamados ‘legados olímpicos’ para a cidade. “Revitalizamos uma das áreas mais importantes da cidade. Um dos pontos mais bonitos do Centro do Rio com vista para a baía. Os cariocas estão ganhando um novo ponto turístico, que já foi muito usado na época pela Família Real.”

O local onde estará a pira olímpica compõe o último trecho do chamado Boulevard Olímpico, via de 3,5 quilômetros que abrigará três telões, onde o público poderá acompanhar as competições ao vivo e aproveitar uma programação de shows diários.

Os patrocinadores da Rio-2016 também estão montando estruturas no local para entreter os torcedores. O Balão Panorâmico Skol vai subir a 150 metros de altura para mostrar a vista da região, revelada após a demolição do Elevado da Perimetral. A Nissan montará um bungee jump. A Lego vai expor uma maquete feita de blocos de montar e terá uma loja com produtos licenciados pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e pelo Comitê Rio-2016.

Do local, visitado ontem pelo presidente do COI, Thomas Bach, os torcedores poderão andar até a Praça Mauá - onde ficam o Museu do Amanhã e o Museu de Arte do Rio (MAR) - pela recém-inaugurada Orla Conde. Também poderão optar pelo Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) para se deslocar pelo centro. A área da pira olímpica será no dia 2 de agosto.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos OlímpicosOlimpíadaRIo 2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.