Lucas Figueiredo/ MoWA Press
Lucas Figueiredo/ MoWA Press

Reserva de Prass, Uilson encara período na seleção olímpica como aprendizado

Goleiro é conhecido de Micale devido a trabalho no Atlético-MG

Almir Leite, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2016 | 15h28

O técnico Rogério Micaler já tem na cabeça a equipe que pretender mandar a campo na Olimpíada. O goleiro titular da seleção será o experiente Fernando Prass. Isso significa que Uilson será reserva e as chances de mudar esse quadro são praticamente nulas. O goleiro do Atlético Mineiro encara a situação com naturalidade e decidiu tirar proveito.

"O Prass vive grande momento no Brasileiro, é super merecida a convocação dele. É um goleiro líder, campeão", definiu Uilson em entrevista na tarde desta quinta-feira, na Granja Comary. "Para mim, além de buscar espaço, é um aprendizado muito grande, procuro a cada dia poder ajudar e aprender com ele."

O goleiro de 22 anos, porém, tem uma vantagem: é bem conhecido de Micale, pois foi treinado por ele na base do Atlético-MG. Isso o deixa à vontade no contato com o treinador. "Micale é um cara tranquilo, tem uma relação transparente com os atletas", disse.

Pela convivência, Uilson está familiarizado com os métodos de trabalho do comandante. "Ele tenta deixar bem clara a forma de que maneira quer que o time se posicione, está sendo muito bacana e podemos entender claramente o que ele quer passar para a gente."

Uma das características de Uilson que agradam a Micale é o de ele saber jogar com os pés. Como antes de se decidir por ter goleiro, por influência do pai, ele jogou como lateral e volante, adquiriu bom controle de bola. "É uma característica moderna, não só o Micale, como grandes clubes utilizam goleiros com os pés: Barcelona, por exemplo", afirmou.

Ele entende que o futebol atual precisa de goleiros que trabalhem com os pés. "Ele pela forma que joga o time do Micale mais ainda. Acredito que ele me chamou não só por isso, mas é uma das minhas qualidades."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.