Revezamento da tocha terá 1 minuto de silêncio após terremoto

Medida será adotada a partir desta quarta-feira, quando a tocha passará pela região de Ruijin

Reuters,

13 de maio de 2008 | 11h49

A China vai observar um minuto de silêncio no início de cada dia do revezamento da tocha olímpica pelo país, após o terremoto de segunda-feira no sudoeste que matou pelo menos 12 mil pessoas, disseram os organizadores dos Jogos.   Veja também: De Pequim, Cláudia Trevisan fala sobre o terremoto  Fotos do terremoto  Vídeo com imagens do terremoto  O minuto de silêncio vai começar na quarta-feira, em Ruijin, na Província de Jiangxi, no leste, e vai se repetir em todas as outras paradas da chama, informou o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog) em seu site oficial. "O revezamento da tocha olímpica vai considerar a segurança como sua prioridade máxima", disse o comunicado. A chama olímpica teve uma passagem conturbada no exterior, com protestos contra a política chinesa de repressão ao Tibete em cidades como Paris, Londres e San Francisco. A tocha tem parada prevista na Província de Sichuan, a mais atingida pelo terremoto, entre 15 e 18 de junho, e a rota não deve ser alterada, de acordo com Li Zhanjun, diretor do centro de mídia do Bocog. Os Jogos Olímpicos de Pequim começam em 8 de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.