Ricardo conquista sua 3.ª medalha olímpica e quer mais

Ele fala em disputar a próxima Olimpíada, Londres-2012, quando terá 37 anos, e sonha com outro pódio

ALBERTO ALERIGI JR., REUTERS

22 de agosto de 2008 | 00h08

Ricardo garantiu a sua terceira medalha olímpica em Olimpíadas ao conquistar o bronze ao lado de Emanuel em Pequim, e quer mais -- a dupla deve se reunir para definir o futuro no próximo ciclo olímpico, e o jogador brasileiro já pensa em conseguir mais um pódio. Veja também: Ricardo e Emanuel ganham o bronze no vôlei de praiaA campanha brasileira na Olimpíada de Pequim"É uma conquista, são três Olimpíadas, três pódios. É como se eu tivesse ganho ouro e eu acredito que muitos gostariam de estar onde estamos agora", disse Ricardo após a vitória sobre Renato "Geor" Gomes e Jorge "Gia" Terceiro, brasileiros naturalizados georgianos. Ele já havia conquistado a prata em Sydney-2000 ao lado de Zé Marco e o ouro em Atenas-2004 com Emanuel. Para os Jogos de Londres, em 2012, quando Ricardo terá 37 anos de idade, o jogador diz que espera chegar "a uma quarta medalha". Segundo ele, após a Olimpíada, a dupla vai voltar para o Brasil e "ver qual o objetivo de cada um para o próximo ciclo olímpico". A esperança do jogador é que a dupla continue, pelo menos até o final do ano para disputar o Circuito Mundial. Por Emanuel, é o que vai acontecer. "A cada experiência que vamos tendo, vamos melhorando, mas agora quero voltar ao Brasil e curtir essa medalha com minha família", disse o jogador de 35 anos. Visivelmente abatidos, os brasileiros da Geórgia não chegaram a ameaçar Ricardo e Emanuel e lamentaram seu desempenho. "Eu não queria perder desse jeito, erramos muito em horas decisivas", disse Renato, que ficou sem o prêmio que a Geórgia pagaria à dupla caso conseguissem uma medalha. "Por outro lado, a gente nunca tinha chegado a uma final em três anos e fomos fazer logo numa Olimpíada, isso me deixa feliz", afirmou Renato, que na coletiva de imprensa acabou não se contendo e ficou com os olhos cheios de lágrimas. O jogador disse que ficou triste com a torcida brasileira que claramente apoiou Ricardo e Emanuel. "Achei que eles fossem compreender, mas isso faz parte, faz a gente crescer." O primeiro set foi um passeio de Ricardo, que entrou em quadra ainda sentindo uma lesão no pé sofrida antes da Olimpíada, e Emanuel, que fecharam o placar em 21-15. No segundo set, a dupla abriu uma vantagem de seis pontos com Ricardo defendendo bons ataques dos brasileiros da Geórgia. Renato Gomes e Jorge Terceiro cometeram erros de ataque e falhas na recepção de serviços de Ricardo. A vantagem foi a dez pontos, 13-3, para o Brasil quando Emanuel bloqueou cortada de Renato Gomes. Apesar do saque forte de Jorge, Ricardo conseguiu fazer a defesa e Renato não conseguiu mais uma vez superar o bloqueio de Emanuel. A vantagem da dupla brasileira foi a 16-5, com Ricardo acertando saque colocado perto da rede. No final do set, a dupla da Geórgia salvou dois set points, mas a vantagem para o Brasil era muito grande e Emanuel encerrou a partida em 21-10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.