Daniel Leal Olivas/AFP
Daniel Leal Olivas/AFP

Richarlison publica manifesto cobrando melhores condições para o esporte brasileiro; leia

Em texto divulgado em seu site oficial, camisa 10 da seleção em Tóquio pede ‘retorno mais significativo’ do País para atletas de todas as modalidades

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2021 | 08h05

Medalhista olímpico com a seleção brasileira em Tóquio, Richarlison divulgou neste domingo, dia 8, um manifesto cobrando melhores condições para o esporte brasileiro. O atacante recordou a trajetória difícil até se tornar jogador profissional e disse ter conhecido na Olimpíada histórias de atletas que chegaram no auge esportivo "com pouco ou nenhum tipo de apoio ou estrutura" para isso.  

"Passou da hora de o nosso país entender que esporte não é só um cara chutando no gol ou enterrando a bola numa cesta: é bem-estar, saúde, disciplina e segurança. Nós levamos o nome do nosso país ao mais alto nível com muito orgulho, geramos exposição e rendimentos, além de representar nossa gente e nossa bandeira. Então, nada mais justo do que haver um retorno mais significativo", escreveu o atleta do Everton, sempre ativo nas redes sociais e sem medo de se envolver em causas sociais. 

Neste domingo, o Estadão revelou que o Comitê Olímpico do Brasil (COB) gastou R$ 950 milhões no ciclo olímpico (2017 - 2021), quantia investida da Lei Piva, pelo governo e patrocinadores. Mas poderia ser melhor. Em julho, o Bolsa Atleta sofreu queda de 17% em seu orçamento total. Foi a primeira vez na história que o programa, criado em 2005, amargou uma redução de orçamento. 

Com papel importante na seleção principal e no clube inglês, o camisa 10 do Brasil em Tóquio também faz um mea-culpa no texto publicado em seu site oficial, reconhecendo o futebol como um esporte de maior investimento financeiro. Mas, ressalta que a realidade da grande maioria dos atletas brasileiros não desfruta das mesmas condições. 

"Não podemos viver eternamente em uma bolha, onde apenas alguns poucos se destacam, pois, dentro do nosso próprio esporte, mais de 90% dos jogadores no nosso país ralam todo dia por um salário-mínimo ou menos. E ainda há a disparidade para o futebol feminino, que é ainda maior, apesar de toda a trajetória de lutas e conquistas das meninas nos últimos anos."

Richarlison foi convocado para os Jogos de Tóquio para ser uma das peças-chave de André Jardine na busca pelo ouro. Apesar do pênalti desperdiçado e a bola na trave na final contra a Espanha, o jogador terminou a competição como o artilheiro, com cinco gols em seis partidas disputadas.

Em entrevista ao Estadão recentemente, Richarlison bateu forte nos governos do Brasil e nos políticos de modo geral pedindo educação, trabalho e comida na mesa do brasileiro. Veja o que ele disse nessa reportagem.

Leia o manifesto de Richarlison na íntegra

O resultado desse esforço quase sobre-humano de realizar os seus sonhos serão novas Rebecas, Rayssas, Alisons, Ana Marcelas, Heberts, Isaquias, Darlans, Thiagos, enfim... meninas e meninos que surgirão adiante só porque foram inspirados por cada um de vocês. Contudo, acho que o momento é de começarmos a pensar em deixar para as futuras gerações um maior investimento em esporte, desde a escola até o profissional; e de melhorar as condições para que nossos atletas possam desempenhar o melhor possível e viver daquilo que amam fazer.

Passou da hora de nosso país entender que esporte não é só um cara chutando no gol ou enterrando a bola numa cesta: é bem-estar, saúde, disciplina e segurança. Nós levamos o nome do nosso país ao mais alto nível com muito orgulho, geramos exposição e rendimentos, além de representar nossa gente e nossa bandeira. Então, nada mais justo do que haver um retorno mais significativo.

Peço desculpas por falar a respeito sem lugar de fala. O futebol realmente é o esporte com maior investimento no país, com boas estruturas nos grandes clubes e transmissão em todas as plataformas. Mas não podemos viver eternamente em uma bolha, onde apenas alguns poucos se destacam, pois, dentro do nosso próprio esporte, mais de 90% dos jogadores no nosso país ralam todo dia por um salário-mínimo ou menos. E ainda há a disparidade para o futebol feminino, que é ainda maior, apesar de toda a trajetória de lutas e conquistas das meninas nos últimos anos.

A partir de agora, gostaria de pedir licença a todos vocês para ser mais uma voz gritando bem alto para ajudar a mudar essa situação. Para que possamos dar a oportunidade às crianças, que hoje se inspiram nas nossas trajetórias, para que cheguem ao Olimpo do esporte.

Tenho muito orgulho de fazer parte disso e de ser conterrâneo de todos vocês! Obrigado por tudo e parabéns a todos atletas do Time Brasil! Vocês são verdadeiros heróis e campeões!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.