Divulgação/Grupo Globo
Divulgação/Grupo Globo

Público brasileiro terá cobertura inédita dos Jogos Olímpicos

Mais de 20 canais por assinatura estarão disponíveis no País

O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2016 | 07h00

Como já era imaginado, os Jogos Olímpicos Rio-2016 terão uma cobertura inédita na televisão brasileira. Diferente da edição de 2012, realizada em Londres, quando a Record transmitiu o evento com exclusividade na grade aberta, dessa vez, três emissoras serão responsáveis neste quesito: Globo, Band e a própria Record.

No entanto, é na televisão por assinatura que os números serão mais impressionantes: serão mais de 20 canais, divididos entre ESPN Brasil, Fox Sports, que faz sua estreia olímpica no País, BandSports e SporTV, grande responsável por essa cobertura histórica.

Com um grande investimento, o SporTV trará 24 horas ao vivo de conteúdo, 100% de todas as competições, onde e quando o assinante quiser. Ou seja, se o telespectador quiser assistir ao qualificatório do tiro com carabina 10m, ele conseguirá. Para realizar tal feito, o canal, que faz parte do Grupo Globo, terá 16 canais em HD e mais 56 sinais ao vivo na internet (sendo 16 uma "cópia" dos canais e outros 40 inéditos).

"Nosso diferencial é uma cobertura completa, sendo a maior transmissão da história do Brasil em termos de Jogos Olímpicos. Em Londres tínhamos quatro plataformas, já existia um conteúdo diferenciado, mas nosso grande desafio é sempre melhorar, sempre pensando no consumidor. Pegamos nossa tecnologia e conteúdo, trabalhos em parceria com as operadoras de televisão a cabo e conseguimos isso", disse ao Estado Bianca Maksud, diretora de marketing e produto do SporTV.

"Serão mais de mil profissionais envolvidos, sendo 110 comentaristas. Teremos uma equipe completa para cada canal, desde coordenação até narradores, comentaristas e repórteres. Nos outros 40 sinais na internet, o assinante não terá narração, mas sim o som ambiente e artes com estatísticas e dados para ele entender tudo que está acontecendo naquela prova", completou.

Sem tantos canais quanto seu maior concorrente, a ESPN Brasil tem tudo para ser a segunda força na televisão a cabo. Com aproximadamente 100 profissionais no Rio de Janeiro, o canal, que é sediado em São Paulo, planeja mais de 700 horas de transmissão nas suas quatro plataformas (ESPN Brasil, ESPN, ESPN+ e WatchESPN) e apostará na qualidade dos seus 50 especialistas e comentaristas para cativar o telespectador, como, por exemplo, Fernando Meligeni, Magic Paula, Maurício Lima, Ana Moser, Diogo Silva e Danielle Zangrando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.