Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Rio terá três áreas com telões e shows de graça durante os Jogos Olímpicos

Paralamas do Sucesso e Nação Zumbi estão entre as atrações no principal palco

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2016 | 19h00

As competições olímpicas acontecerão em quatro polos do Rio (Copacabana, na zona sul, Maracanã, na zona norte, Deodoro e Barra da Tijuca, na zona oeste), mas quem não tiver ingressos poderá acompanhar as disputas em telões instalados em três outras áreas da cidade: a zona portuária, em um trecho de 3,2 quilômetros entre a Gamboa e a Praça XV (região central); o Parque Madureira, no bairro homônimo da zona norte; e o Centro Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande (zona oeste).

Estes três lugares vão abrigar o projeto Boulevard Olímpico, versão olímpica do Fifa Fun Fest (arenas montadas em cada cidade-sede da Copa para oferecer gratuitamente shows musicais e exibir os jogos em telões).

O maior Boulevard vai funcionar na zona portuária a partir do dia 5 de agosto, das 9 horas à meia-noite, e deve receber cerca de 80 mil pessoas por dia. Segundo a prefeitura, os telões vão exibir a programação do canal pago SporTV 1, que deve reunir as principais competições olímpicas. Haverá três palcos para shows de música brasileira - o principal, chamado "Encontros", vai ficar na Praça Mauá e reunir estrelas como Cidade Negra e Jorge Aragão, Paralamas do Sucesso e Nação Zumbi, Elba Ramalho e Moraes Moreira com seu filho Davi, Fernanda Abreu e Mart'nália e Suricato e Erasmo Carlos, entre outros duetos.

O palco "Tendências" ficará na Praça XV e vai reunir atrações de várias regiões do Brasil, além do projeto "Encontro de Carnavais", que reunirá escolas de samba e blocos carnavalescos. O terceiro palco vai chamar "Amanhã" e ficará na avenida Barão de Tefé.

Além de música, haverá diversas outras atrações artísticas, como 238 performances de artistas de rua (malabaristas, mímicos, dançarinos e atores, por exemplo) e o painel de grafite "Etnias" - o maior do mundo, com 2.500 metros quadrados, assinado por Eduardo Kobra, muralista de fama internacional.

Uma das principais atrações olímpicas, a tocha, ficará exposta na praça ao redor da igreja da Candelária, que integra a área desse Boulevard. Outras atrações da região são um balão fixo no chão que vai levar o público a 150 metros de altura, bungee jump, um museu itinerante, um mini-trio elétrico que vai levar desfilar pelo ambiente e, diariamente às 22 horas, um show de fogos de artifício. O público será atendido por 16 bares, 50 food trucks (caminhões que vendem comida artesanal) e 300 ambulantes. O esquema de segurança será anunciado apenas no próximo dia 27.

Em Madureira, o Boulevard Olímpico vai funcionar das 9 horas às 22 horas. Haverá um telão e um palco com atrações musicais como as Velhas Guardas da Mangueira e da Mocidade, além de um museu itinerante, torneios esportivos para crianças e adolescentes e área de alimentação.

O terceiro Boulevard, em Campo Grande, é o único organizado e pago pela prefeitura. A administração municipal lançou licitação para empresas interessadas em organizar as três festas, mas só houve interessados nas duas maiores - a organização dessas caberá à Gael Comunicação.

O secretário de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Mello, atribuiu o desinteresse ao "momento econômico" do Brasil. "O Rio também sofre com esse baixo astral que tomou conta de todo o País. É outro momento, 2009, 2010, 2011 era uma coisa, 2016 é outra", avaliou. O secretário não soube informar quanto a prefeitura gastou com a organização desse Boulevard, que vai funcionar das 10 horas às 22 horas e oferecerá shows musicais, dois telões e oficinas de esportes para crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.