Robinho afirma que não vai aos Jogos Olímpicos de Pequim

Real Madrid alega que jogador deveria tratar de sua lesão no púbis, na pré-temporada do clube na Áustria

EFE

21 de julho de 2008 | 11h37

O atacante brasileiro Robinho, do Real Madrid, lamentou nesta segunda-feira não poder participar dos Jogos Olímpicos de Pequim, em uma improvisada entrevista coletiva na capital espanhola. Veja também: Robinho poderia ir a Pequim, diz especialista da seleção  Hernanes: 'persigo a medalha de ouro há oito anos' Dores no púbis voltam a preocupar Robinho antes de Pequim"Infelizmente não poderei estar com a seleção. O clube [Real Madrid] acha melhor que eu faça uma boa pré-temporada", disse Robinho.A entrevista aconteceu minutos antes de o jogador de 24 anos embarcar em um vôo para Graz, na Áustria, onde se encontrará com sua equipe que faz a pré-temporada.O Real Madrid alegou que o pedido de dispensa à CBF tinha sido feito em virtude de uma lesão no púbis do atacante. A lesão teria sido constatada na manhã desta segunda.Sobre o interesse do Chelsea em sua contratação, Robinho se mostrou contente, mas fez questçao de desconversar. "Estou feliz [pelo interesse], mas com a cabeça tranqüila, e concentrado em fazer uma boa pré-temporada no Real Madrid e continuar no clube espanhol", afirmou.Perguntado sobre sua reunião com Predrag Mijatovic, diretor esportivo da equipe, o brasileiro não quis revelar o conteúdo da conversa e afirmou serem "assuntos particulares". NADA SATISFEITOTentando um novo acordo para a extensão do contrato de Robinho ou sua venda para o Chelsea, o procurador do atleta, Wagner Ribeiro, confessou que a decisão da diretoria do Real Madrid foi, no mínimo, precipitada. "O Robinho fez alguns exames e ficou constatada uma pequena inflamação no púbis. Ele poderia muito bem ser tratado pelo Rosan [Luiz Alberto Rosan, fisioterapeuta do São Paulo e da seleção], que o curaria em pouco tempo, mas o Real preferiu segurar o jogador." A decisão do Real Madrid, e acordo com Wagner Ribeiro, devastou Robinho. "O Robinho saiu daqui [de Madri, com a delegação do Real para a Áustria] chorando muito, porque ele queria disputar as Olimpíadas", afirmou o procurador do atleta, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.