Robinho poderia ir a Pequim, diz especialista da seleção

Fisioterapeuta Luiz Alberto Rosan disse que lesão do jogador poderia ser curada em duas ou três semanas

AE, Agencia Estado

21 de julho de 2008 | 13h40

A lesão no púbis de Robinho, que fez o Real Madrid não liberar o jogador para as Olimpíadas, poderia ser curada antes da estréia do Brasil no torneio olímpico, segundo o fisioterapeuta da seleção e do São Paulo, Luiz Alberto Rosan.     Veja também:  Robinho afirma que não vai aos Jogos Olímpicos de Pequim"É uma lesão que a fisioterapia muitas vezes resolve em uma, duas ou três semanas", disse Rosan, em entrevista à TV Globo. O fisioterapeuta esteve com Robinho na semana passada, no Centro de Treinamento do São Paulo, e avaliou a contusão do jogador. O Brasil estréia na Olimpíada no dia 7 de agosto, contra a Bélgica. O Real Madrid constatou a lesão de Robinho nesta segunda-feira, e enviou um fax à CBF pedindo a desconvocação do jogador, que viajará para um período de pré-temporada na Áustria. Em entrevista antes da viagem, o meia-atacante disse lamentar a ausência nos Jogos Olímpicos, mas não contestou a decisão.Robinho sentiu o problema no púbis depois de uma sessão de corrida em Santos e pediu socorro a Rosan. Ele já havia sofrido lesão semelhante em março, durante um jogo contra a Roma, em Madri, pela Liga dos Campeões da Europa.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.