Divulgação - 2014
Divulgação - 2014

Santiago e Buenos Aires disputarão por sede do Pan de 2023

Não há um favoritismo claro entre as cidades da América do Sul

Estadão Conteúdo

01 de fevereiro de 2017 | 17h34

Depois de muito debate interno, o Comitê Olímpico do Chile conseguiu convencer o governo da presidente Michelle Bachelet e Santiago será mesmo uma das candidatas a receber os Jogos Pan-Americanos de 2023. O prazo de apresentação das pré-candidaturas se encerrou às 23h59 de terça-feira e, pelas informações disponíveis, só Buenos Aires e Santiago se apresentaram.

A decisão pela candidatura de Santiago só foi tomada na terça-feira. Neven Ilic, presidente do comitê olímpico, e novo ministro do Esporte do Chile, Pablo Squella, foram os responsáveis por lançar a candidatura e convencer o governo a abraçá-la. Antes, o ministério da Fazenda havia negado a possibilidade.

Até 30 de abril, os candidatos devem depositar um cheque de US$ 500 mil na conta da Organização Desportiva Pan-Americana, a Odepa, apresentando também os detalhes da candidatura. Ilic é um dos cinco candidatos à eleição presidencial da entidade, no dia 26 de abril, e tentará desbancar o favorito Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

"Agora o que vamos fazer é sentar o mais cedo possível para fazer o desenho da candidatura. O que fiz foi apresentar a carta de intenção da candidatura e há um prazo até 30 de abril, onde as cidades devem apresentar formalmente seu projeto, conforme toda a regulamentação e o caderno de encargo de Odepa", comentou Ilic ao site chileno Emol.

A candidatura de Santiago caiu como uma ducha de água fria em Buenos Aires, que decidiu pela candidatura na semana passada e que acreditava na possibilidade de não ter concorrentes. 

Pelo menos por enquanto, não há um favoritismo claro entre as duas cidades da América do Sul. Buenos Aires terá a experiência de organizar os Jogos Olímpicos da Juventude no ano que vem, enquanto Santiago realizou com sucesso os Jogos Sul-Americanos, em 2014. Naquele ano, porém, era ampla favorita na eleição pelo Pan de 2019, mas acabou sendo derrotada por Lima, no Peru.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.