Marcio Fernandes|Estadão
Marcio Fernandes|Estadão

Scheidt vai ao Mundial da Laser com a cabeça nos Jogos do Rio

Competição no México ajudará na preparação do brasileiro

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2016 | 07h02

Robert Scheidt compete a partir desta quinta-feira em busca de mais um título mundial na classe Laser. O pódio, entretanto, não é o único objetivo do brasileiro em Puerto Vallarta, no México. O velejador vê o Mundial como um degrau "de alto nível" em sua preparação para os Jogos Olímpicos do Rio

"O Mundial será minha última grande competição antes da Olimpíada e, por isso, tem uma importância ainda maior na preparação e no meu planejamento para o ano", disse Scheidt ao Estado.

A competição, que vai até o dia 18, é exigente e, nas palavras do brasileiro, "uma verdadeira maratona". Em sete dias de disputa, 14 regatas serão realizadas. "Espero brigar pelo pódio, até porque estou em um bom momento, mas mais importante que qualquer resultado, será velejar bem para seguir dentro da minha programação para os Jogos Olímpicos."

Aos 43 anos, o atleta preferiu intensificar sua preparação física e técnica para o Mundial e descartou a etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela, em abril, na França. Para conhecer a raia da competição e as condições de vento, Scheidt chegou a Puerto Vallarta com uma semana de antecedência. A raia do Mundial foi usada nos Jogos Pan-Americanos de 2011. Na época, o brasileiro competia pela classe Star e não participou da disputa.

Nesta temporada, Robert Scheidt venceu a etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela e conquistou a medalha de prata no Troféu Princesa Sofia, em Palma de Mallorca, na Espanha. Ele também faturou o Brasileiro de Laser, disputado no mês de janeiro. Depois do Mundial no México, o multicampeão olímpico planeja um período de treinamentos, entre 15 e 25 de junho, no Rio de Janeiro, onde poderá fazer "pequenos ajustes" para os Jogos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.